É com grande alegria que publicamos o número inaugural da Revista de Estudos Híbridos na Área da Linguagem (REHAL), através do qual esse periódico se insere na comunidade acadêmica como meio de divulgação de trabalhos científicos na área de Linguística e Literatura e em outros campos afins.

A fim de contribuir primordialmente para a divulgação de trabalhos mistos (quanti-quali) e de investigações desenvolvidas a partir de abordagem unicamente quantitativa, a REHAL foi idealizada no Grupo de Pesquisa Ensino e Aprendizagem de Línguas: Uma Abordagem Quantitativa, que integra pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, em 2018, sob liderança do Prof. Dr. Eduardo de Oliveira Dutra.

Isso não significa que não sejam aceitos e publicados trabalhos com foco na abordagem qualitativa, visto que um dos propósitos da REHAL é fomentar a divulgação de trabalhos diversificados em relação a perspectivas teórico-metodológicas. Cabe destacar que, em 2020, esse periódico também foi vinculado ao Mestrado em Ensino de Línguas (UNIPAMPA).

Este volume reforça o compromisso da REHAL com a divulgação de pesquisas no âmbito de Ensino e Aprendizagem de Línguas, com ou sem a presença das Novas Tecnologias nesse processo, no campo de descrição linguística, entre outros. O presente número apresenta uma compilação de cinco artigos de autoria de pesquisadores com diferentes perspectivas relacionadas ao Ensino e Aprendizagem de Línguas e Literaturas e aos Estudos de Linguagem em contextos diversos.

O primeiro artigo é de Giane Rodrigues dos Santos que trata de resultados de um estudo piloto que investigou a percepção e a produção das vogais médias do espanhol por falantes do português brasileiro (PB). O título do trabalho é “Um estudo piloto sobre a percepção das vogais médias /e/ e /o/ do espanhol/L2 por falantes do português brasileiro”.

Lisiane Silva e Lúcia Rottava, no artigo “A escrita acadêmica e os resultados do subsistema de atitude”, analisam, à luz da Linguística Sistêmico-Funcional (HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2014; HALLIDAY; HASAN, 1985), a escrita de textos de alunos ingressantes no curso de Letras da UFRGS, focando no estrato semântico-discursivo, mais especificamente sobre os recursos interpessoais de Atitude, do sistema de Avaliatividade.

O trabalho “Interculturalidade e Educação: uma experiência com diferentes profissionais”, de Moacir de Camargos e Patrícia Cavalheiro analisa a aplicação de uma proposta pedagógica com foco na interculturalidade que buscou promover a interação entre os educadores que participaram da 5ª edição do curso de formação intitulado Na Ponta da Língua.

O quarto artigo, “Letramento Literário: ensino e aprendizagem como prática social”, é de Renata Toigo. Nesse trabalho, a autora destaca as estratégias necessárias para o ensino e a aprendizagem da leitura da literatura e reflete acerca da leitura.

Os autores Maxsuel Pereira Barbosa, Márcia Juliana da Silva e Isis Gardênia Kato de Sousa discutem a aplicabilidade da lei nº. 10.639/03, na prática pedagógica dos professores da Escola Estadual Antonio Gröhs, no município de Água Boa – MT. O artigo dos autores é “Lei 10.639/03 e o ensino de literatura africana na escola estadual Antonio Gröhs: da teoria á prática pedagógica

Editor-chefe

 Paulo Fernando Marques Duarte Filho

Bagé, Rio Grande do Sul, 19 de novembro de 2020.

Publicado: 2020-11-19