A PESQUISA QUANTITATIVA E A LÍNGUA DE SINAIS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES METODOLÓGICAS

  • Lídia Silva
  • Renata Muhlerbeier

Resumo

A contribuição das pesquisas que envolvem o ensino e a aprendizagem de uma língua de sinais como uma segunda língua (L2) para pessoas ouvintes vai desde o desenvolvimento teórico para o campo até o favorecimento de subsídios à prática pedagógica. O presente trabalho se situa nesse contexto e tem o objetivo de refletir criticamente sobre os aspectos metodológicos do estudo de Taub et al. (2008). Para tanto, o aporte teórico a respeito da metodologia científica e dos componentes estruturais da pesquisa quantitativa se desenvolveu com apoio de Scaramucci (1995), Gunther (2006), Fontelles et al. (2009), Marconi e Lakatos (2010), Silva, Lopes e Junior (2014) e Battisti et al. (2015). Acerca da metodologia, o trabalho é bibliográfico, qualitativo e descritivo e os nossos resultados indicam que a escolha do tema e a formulação das perguntas e hipótese são os pontos positivos do estudo sob análise. Quanto aos pontos críticos são descritos como as definições operacionais das variáveis e da coleta de dados e o tratamento estatístico e análise dos dados poderiam ser ampliados. Conclusivamente, o trabalho mostra-se como um incentivo à possibilidade da abordagem metodológica quantitativa com línguas de sinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
Silva, L., & Muhlerbeier, R. (2021). A PESQUISA QUANTITATIVA E A LÍNGUA DE SINAIS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES METODOLÓGICAS. Revista De Estudos Híbridos Na Área Da Linguagem, 2(01), 11-34. Recuperado de https://periodicos.unipampa.edu.br/index.php/REHAL/article/view/108711
Seção
Artigos