UMA NARRATIVA ACERCA DA REPRESENTATIVIDADE DE GÊNEROS NOS DESENHOS ANIMADOS E FILMES INFANTIS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rita de Cássia Grecco dos Santos
http://orcid.org/0000-0002-6340-0920
Sabrina Pain Vanzing

Resumo

Este estudo se propôs a uma investigação acerca da representatividade de gêneros existente nos desenhos animados e filmes infantis, buscando identificar se estes influenciam na idealização e nas mudanças de representatividade, analisando de que forma esta representatividade aparece nos desenhos e filmes infantis. A partir de uma abordagem de pesquisa qualitativa, apresenta também, reflexões e apontamentos subsidiados através da revisão bibliográfica temática, bem como a realização de uma entrevista semiestruturada com quatro crianças em fase de alfabetização, duas meninas e dois meninos. Além da análise de dois filmes infantis que evidenciam as principais diferenças encontradas acerca da representatividade de gêneros em ambos os filmes, podendo assim realizar um estudo comparativo. Nesse sentido, constatamos algumas influências na idealização e nas mudanças de representatividade de gênero. Os resultados indicaram que os desenhos animados e filmes infantis estão quebrando alguns padrões em relação aos gêneros, mas que o caminho ainda é longo e de grande discussão. Percebemos que as crianças que foram entrevistadas apontam alguns títulos como sendo de menina ou menino, porém, percebemos uma dificuldade por parte deles em definir os filmes sendo de um ou de outro, tornando muito importante a discussão para descobrirmos como essas definições são geradas pelos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
GRECCO DOS SANTOS, R. DE C.; PAIN VANZING, S. UMA NARRATIVA ACERCA DA REPRESENTATIVIDADE DE GÊNEROS NOS DESENHOS ANIMADOS E FILMES INFANTIS. Missões: Revista de Ciências Humanas e Sociais, v. 7, n. 2, p. 312-330, 30 out. 2021.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Rita de Cássia Grecco dos Santos, Universidade Federal de Rio Grande

Socióloga e Pedagoga, é Professora Associada no Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande - IE/FURG e Professora no Programa de Pós-Graduação em História - PPGH-ICHI/FURG, na Linha de Pesquisa Pesquisa e Vivências de Ensino-aprendizagem. Doutora em Educação - Filosofia e História da Educação pela UFPEL (2012), Mestre em Educação - História da Educação e Movimentos Sociais pela UFPEL (2002), Especialista em Formação para o Magistério - Administração e Supervisão Escolar pela Faculdades Integradas de Amparo - FIA (2000), Especialista em Sociologia e Política pela UFPEL (1999), Bacharel e Licenciada em Ciências Sociais pela UFPEL (1997 e 2000) e Licenciada em Pedagogia pelo UNICESUMAR (2020). Atua como docente nas modalidades presencial e a distância, na Pós-Graduação Stricto Sensu, nas Licenciaturas em Pedagogia e Geografia e na Especialização em Ensino de Sociologia no Ensino Médio; tendo sido docente e gestora na Educação Básica (Ensino Fundamental e Médio), e docente na Educação Profissional de níveis Técnico e Tecnológico. Coordena o Curso de Pedagogia a Distância do Sistema Universidade Aberta do Brasil na FURG, é membro da Comissão Própria de Avaliação - CPA / FURG e é membro Presidente da Comissão Permanente de Pessoal Docente - CPPD / FURG. É integrante dos Grupos de Pesquisa EDUCAMEMÓRIA Educação e Memória da FURG e Pesquisa, Ensino e Formação Docente nas Artes Visuais da UFPEL. É membro da Rede de Investigação Ação Participativa e Educação Popular em Universidades Públicas/RIAPEP. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, história da educação, educação superior, memória, didática e educação a distância.

Referências

AMARAL, L. Sobre crocodilos e avestruzes: falando de diferenças físicas, preconceitos e sua superação. São Paulo: Summus, 1998.

ARAÚJO, Joice Esperança; SOBRAL Cleuza Dias. Meninos versus meninas: representações de gênero em desenhos animados e seriados televisivos sob olhares infantis. Educação, Santa Maria, v. 35, n. 3, p. 533-546, set./dez. 2010.

BOURSCHEID, R., NOAL, E.A.C. Tecnologias, Mídias e Educação Infantil: uma reflexão baseada no cotidiano dos alunos. Trabalho para obtenção do título de Especialista em Mídias da Educação. p. 12,-15. UFSM – Universidade Federal de Santa Maria. Rio Grande do Sul. 2011.
BRAGA, Sonia. Representações de gênero e família a partir da assistência fílmica do desenho animado Valente por estudantes do final do ensino fundamental II. Florianópolis – SC 2016.

CHIES, Paula Viviane. Identidade de gênero e identidade profissional no campo de trabalho. Rev. Estud. Fem. v.18, n. 2, Florianópolis, maio-ago./2010.

FERREIRA, Lucia Gracia; SANTANA, Andrea Moreira. A tv e a Educação: um estudo sobre a influência dos desenhos animados nos valores morais da criança. Cadernos da Pedagogia. São Carlos, ano 9, v.9 n.17, p. 2-18, jul-dez./2015.

KOHATSU, Lineu Norio. MOLINA, Rinaldo. FERREIRA, Karen Danielle Magri. AS DIFERENÇAS SIGNIFICATIVAS NOS ANIMADOS INFANTIS DA DISNEY: DA INOCÊNCIA E FANTASIA AOS PRECONCEITOS E ESTEREÓTIPOS. Londrina, 2013.

LOURO, Lopes Guacira. Gênero, sexualidade e educação. Petrópolis: Vozes, 2003. Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão. (2009). Dicionário de Direitos
humanos. Disponível em: https://escola.mpu.mp.br/dicionario/tiki index.php?page=G%C3%AAnero Acesso em 27 de abr./2021.

QUEIROZ, Bárbara Guerra de. O construto da Princesa: uma análise crítica da mídia de massa infantil. Uniandrade, 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/335279599_O_CONSTRUTO_DA_PRINC ESA_UMA_ANALISE_CRITICA_DA_MIDIA_DE_MASSA_INFANTIL Acesso em 27
abr./2021.

SANTOS, José Luiz. O que é cultura. São Paulo: Brasiliense, 2005.

SILVA, Elias Nascimento. O uso metodológico dos desenhos animados e da propaganda como recurso pedagógico em sala de aula. Revista Científica Semana Acadêmica, em 12/02/2015.

TEIXEIRA, Nadia França. Metodologia de Pesquisa em Educação: Possibilidade e Adequações. Caderno Pedagógico, Lajeado, v. 12, n. 2, 2015. Disponível em: http://www.univates.br/revistas/index.php/cadped/article/view/955 Acesso em 13 ago./2020.