AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE NOVILHOS PRECOCES TERMINADOS EM CONFINAMENTO ALIMENTADOS COM SORO DE LEITE Novilhos Precoces Alimentados com Soro de Leite - Economicidade

Artigo principal Conteúdo

André
Carlos Eduardo
Ricardo Kazama
Vit´ória
Miguelangelo

Resumo

O trabalho teve objetivo de avaliar o desempenho produtivo e economicidade de bovinos de corte confinados com dieta controle e dieta soro de leite, em delineamento experimental inteiramente casualizado, (2 dietas e 3 repetições). Foram utilizados 24 novilhos, de raças taurinas e suas cruzas, com peso vivo inicial de 319,3±11,4 kg e idade de 11 meses, alimentados por 124 dias. As dietas apresentaram relação volumoso:concentrado de 40:60, contendo 13% de PB e 68% de NDT, compostas por silagem de milho e concentrado, diferenciando a dieta soro incluindo 14,78% da MS da dieta de soro de leite. Nos resultados apresentaram semelhanças (p>0,05) de 1,42 kg/dia no ganho de peso médio diário, nos pesos de abate (497±19,94 e 504±21,36 kg), no peso e rendimento das carcaças quente (279,15±12,54 e 287,77±13,16 Kg), (56,02±0,50 e 56,89 ±0,50%), respectivamente. A economicidade da dieta soro de leite apresentou lucratividade superior ao da dieta controle, com valores de R$7.213,81 e R$3.612,61. O soro de leite inserido na dieta dos animais ao nível de inclusão nesse trabalho, não afetou o desempenho produtivo e apresentou valores econômicos melhores. Podendo o soro de leite ser utilizado na dieta de bovinos de corte precoce confinados como alternativa para reduzir os custos com a alimentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do Artigo

Como Citar
WEBER, A.; MARTINS, C. E. N.; KAZAMA, R.; PEREIRA, V. A.; ARBOITTE, M. Z. AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE NOVILHOS PRECOCES TERMINADOS EM CONFINAMENTO ALIMENTADOS COM SORO DE LEITE. Revista Científica Agropampa, v. 3, n. 3, p. 51-63, 12 dez. 2020.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

André, Zootecnicta, Egresso Programa de Pós Graduação em Produção e Sanidade Animal do IFC

Graduado em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestrado Profissional em Produção e Sanidade Animal pelo IFC (Instituto Federal Catarinense).  Avenida 29 de dezembro, n.928. – Bairro: Centro – CEP88485-000 – São Bonifácio (SC), Brasil.

Carlos Eduardo, Professor Dr. do Instituto Federal Catarinanse Campus Araquari


Instituto Federal Catarinense – Campus Araquarí – Doutor, professor Zootecnia – Rodovia BR 280 – km
27 – caixa postal 21 – CEP 89245-000 – Araquarí (SC), Brasil.

Ricardo Kazama , Doutor, Departamento de Zootecnia e Desenvolvimento Rural da Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina – Doutor, Departamento de Zootecnia e Desenvolvimento Rural
– Rodovia Admar Gonzaga, 1346, Bairro Itacorubi – CEP 88034-000 – Florianópolis (SC), Brasil.

Vit´ória, Instituto Federal Catarinense Canpus Santa Rosa do Sul

Aluna do Curso de Engenharia Agronômica do Instituto Federal Catarinense Canpus Santa Rosa do Sul

Miguelangelo, Professor Dr. do Instituto Federal Catarinanse Campus Santa Rosa do Sul

Instituto Federal Catarinense – Campus Santa Rosa do Sul – Doutor, professor Zootecnia – Rua das
Rosas, s/n. caixa postal n.4, Bairro Vila Nova - CEP 88965-000 - Santa Rosa do Sul (SC); Brasil.