A PRÁTICA DA ALFORRIA NO ALEGRETE OITOCENTISTA: NOTAS DE PESQUISA SOBRE AS MANUMISSÕES PAGAS (1832-1886)

Artigo principal Conteúdo

Márcio Jesus Ferreira Sônego

Resumo

Este artigo analisa a prática da alforria no Alegrete oitocentista, mais especificamente alguns tipos de alforrias pagas outorgadas no município no decorrer do século XIX, período de 1832 a 1886. O estudo, baseado em cartas de alforrias e ações de liberdade, pretende demonstrar de forma qualitativa algumas manumissões adquiridas através do pecúlio, e de que forma os escravizados conseguiram recursos para obter a liberdade. Em nossa pesquisa, delimitamos analisar somente as cartas de alforria localizada em registros cartoriais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do Artigo

Como Citar
JESUS FERREIRA SÔNEGO, M. A PRÁTICA DA ALFORRIA NO ALEGRETE OITOCENTISTA: NOTAS DE PESQUISA SOBRE AS MANUMISSÕES PAGAS (1832-1886). Missões: Revista de Ciências Humanas e Sociais, v. 5, n. 2, 4 mar. 2020.
Seção
Artigos