A Ascensão Angolana projeção de poder no Atlântico Sul

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Nathaly Schutz
Felipe Rocha de Carvalho

Resumo

Angola, após décadas de conflito interno, figura, a partir do início dos anos 2000, como um dos principais pólos de poder no Continente Africano. O Atlântico Sul, por sua vez, tem sua importância cresecente nas últimas décadas, tornando-se palco de relevantes relações no âmbito do Sul global. O obejtivo desse artigo é analisar a articulação entre a política externa e de defesa de Angola, especificamente no âmbito do Atlântico. Parte-se da premissa que tal cenário é utilizado por Luanda como forma de projeção de poder regional e reinserção nas relações intra-africanas. As conclusões parciais indicam que Angola utiliza-se das sua atuação no Atlântico Sul como mecanismo de projeção de poder regional. A metodologia adotada foi histórico-comparativa, utilizando-se de refrências primárias e secundárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SCHUTZ, N.; ROCHA DE CARVALHO, F. A Ascensão Angolana. Cadernos de Relações Internacionais e Defesa, v. 1, n. 1, p. 76-91, 10 set. 2019.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Felipe Rocha de Carvalho, PUC-RS

Bachaerel em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa. Mestrando em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.