O Estado Desenvolvimentista e a Política Externa Brasileira (1974-1990) uma proposta de análise

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Isabella Cruzichi

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar historicamente a trajetória da política externa brasileira durante os governos Geisel, Figueiredo e Sarney e sua relação com o modelo de Estado desenvolvimentista. Compreende-se que os Estados sempre condicionam suas políticas exteriores e seus modelos de inserção internacional em paradigmas, as relações internacionais do Brasil originaram quatro, dentre eles está o desenvolvimentista (1930-1990) (CERVO, 2008), contudo, este paradigma abarcou um período histórico extenso tornando o recorte temporal de 1930 a 1990 pouco homogêneo. Nesse sentido, questiona-se aqui se é possível identificar elementos na política externa brasileira implementada entre 1974 e 1990, que a enquadram dentro do paradigma do Estado desenvolvimentista. Desse modo, a hipótese do trabalho argumenta que a diplomacia nacional teve características e ações específicas, dentro do paradigma de Estado desenvolvimentista, numa matriz de conduta claramente estabelecida, que levou em conta a parcial permissibilidade do sistema internacional do período e foi favorecida pela viabilidade nacional. Metodologicamente, o artigo classifica-se, pelo objetivo, como descritivo explicativo, por meio do método hipotético-dedutivo, através de uma abordagem qualitativa, analisando fontes primárias e secundárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CRUZICHI, I. O Estado Desenvolvimentista e a Política Externa Brasileira (1974-1990). Cadernos de Relações Internacionais e Defesa, v. 1, n. 1, p. 20-39, 9 set. 2019.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Isabella Cruzichi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa, mestranda do Programa de Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul