Os somali no regime de Selassié como a Somália independente afetou a etnia em território etíope

Artigo principal Conteúdo

Fernanda da Silva

Resumo

O presente trabalho visa abordar a etnia somali em território etíope durante o regime do imperador Hailé Selassié (1930-1974) e como a independência da Somália a afetou. Parte-se do princípio de que, uma vez que configuram a mesma etnia, a libertação e fusão das Somalilândias desestabilizou o Ogaden etíope por fomentar questões culturais e políticas em torno dos somali. Logo, questiona-se de que modo a conquista da independência da Somália se tornou um divisor de águas no comportamento dos somali etíopes e as políticas de Selassié voltadas para os mesmos. A hipótese aqui levantada é a de que interesses políticos, sociais e culturais somali criaram, em meio ao marco da independência da Somália, um ambiente propício à uma escalada de hostilidade entre somali e etíopes. Para este fim foi realizada uma pesquisa descritiva explicativa, por meio do método hipotético-dedutivo e seguindo uma abordagem qualitativa. O resultado encontrado foi a conclusão de que a independência da Somália contribuiu, de fato, para que houvesse um crescimento significativo nas hostilidades entre somali etíopes e o governo de Selassié, apesar do papel desempenhado recair majoritariamente nos espectros políticos e sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do Artigo

Como Citar
FERNANDA DA SILVA. Os somali no regime de Selassié. Cadernos de Relações Internacionais e Defesa, v. 2, n. 2, p. 73-90, 15 jul. 2020.
Seção
Artigos