Publicado em 1999, o Plano Nacional de Extensão Universitária trouxe as Políticas Nacionais de Extensão Universitária, amplamente discutidas pelo Fórum de Pró-Reitores das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras (FORPROEX), promovendo o interesse de tornar a Universidade Pública uma ferramenta de transformação social para uma sociedade mais justa, solidária e democrática.
Uma das principais propostas foi a difusão do conhecimento. Quanto maior for a disponibilidade de veículos de comunicação e mais volumosa forem as informações com qualidade e isenção para prestar esse serviço à sociedade, maiores serão os subsídios passíveis de apoderamento por parte dos membros do corpo social, de modo que possam tomar decisões racionais com base em seus próprios juízos de valor. Nessa conjuntura, as Universidades públicas, enquanto espaços de formação e produção do conhecimento, não podem abster-se de contribuir para a conquista deste fim.
Assentada na máxima constitucional da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, prevista no art. 207 da Constituição federal de 1988, e buscando dar efetividade aos desígnios genéricos expressos nos incisos IV e VII do art. 43 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB), e ao objetivo extensionista específico do art. 2º da Lei nº 11.640, de 11 de janeiro de 2008 (Lei instituidora da Universidade), a UNIPAMPA propõe a criação de uma revista eletrônica semestral a ser editada pela PROEXT, com o propósito de aperfeiçoar a sua extensão universitária e fortalecer o seu relacionamento com a sociedade na qual está inserta.
A partir desta perspectiva, a Revista objetiva fomentar a extensão universitária de forma dialógica com as comunidades locais e regionais e favorecer a publicização dos diversos tipos de conhecimento produzidos no ambiente universitário, através de canal de comunicação próprio e específico da Instituição.
Adotando a tendência institucional de nominar os seus sistemas informacionais com acrônimos regionalistas, a Publicação adotará e dará destaque aos termos gaúchos, tanto na nomenclatura do periódico quanto na identificação de suas seções, e a uma identidade visual que remeta à geografia do Pampa Gaúcho e busque o reconhecimento de uma particularidade estética.

Metas
A Revista busca:
• A curto prazo, oferecer momentos de informação, capacitação, reflexão, contemplação e/ou divertimento à comunidade universitária na qual se encontra localizada e ao público em geral que a lê;
• A médio prazo, promover um aumento progressivo nos índices de participação dos atores internos e externos da Instituição nos programas, projetos, cursos e eventos de extensão; e,
• A longo prazo, estimular a observação das atividades de extensão como prática sistemática e difundida em todos os campi e cursos da Universidade, com efetivas contribuições para o desenvolvimento regional em suas múltiplas dimensões.

Visão
Solidificar-se como revista referência na área de Extensão Universitária.

Missão
Difundir informações e conhecimentos, originais e inéditos, relativos aos programas, projetos, cursos e eventos de natureza extensionista da UNIPAMPA.

Valores
• Ética (valores morais, princípios e justiça social),
• cientificidade (sistematização do conhecimento),
• tecnicidade (metodologia),
• estética (contemplação artística) e
• qualidade (excelência).

Objetivo
O objetivo buscado com o presente Projeto guardam relação direta com os fins almejados pela Política Nacional de Extensão Universitária e pelas Leis nº 9.394/1996 e nº 11.640/2008. Assim, de maneira geral, objetiva-se fomentar a extensão universitária de forma dialógica com as comunidades locais e regionais e favorecer a publicização dos diversos tipos de conhecimento produzidos no ambiente universitário, através de canal de comunicação próprio e específico da Instituição.

Público-alvo
Comunidade interna e externa da Universidade, instituições de ensino nacionais e internacionais, setores de interesse dentro dos Ministérios, assim como organizações não governamentais e demais instituições de referência.