VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E ISOLAMENTO SOCIAL UMA ANÁLISE DO DISCURSO DA MÍDIA

Artigo principal Conteúdo

Luíza Marrea

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar o discurso da mídia em casos de violência doméstica ocorridos no Rio Grande do Sul durante o período de isolamento social decorrente da pandemia de coronavírus. A metodologia utilizada para a pesquisa foi a Análise de Discurso, sob a perspectiva de Orlandi (2009). Para compreender os sentidos presentes nas narrativas, foram analisadas duas matérias de jornais distintos, uma do portal de notícias G1 e outra do Pioneiro. Durante o isolamento, mulheres que já estavam inseridas em contexto de agressão se tornam mais vulneráveis, por conta do maior contato com o agressor. Diante disso, o intuito deste artigo é compreender a forma como a mulher é retratada e qual o discurso utilizado para abordar o acontecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do Artigo

Como Citar
MARREA, L. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E ISOLAMENTO SOCIAL. Missões: Revista de Ciências Humanas e Sociais, v. 6, n. 4, p. 256-271, 29 abr. 2021.
Seção
Artigos

Referências

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo: fatos e mitos. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1967.

BRASIL. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em: 22 nov. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.104, de 9 de março de 2015. Altera o art. 121 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal, para prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio, e o art. 1º da Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o feminicídio no rol dos crimes hediondos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13104.htm. Acesso em: 22 nov. 2020.

BRASIL. Decreto nº 1.973, de 1º de agosto de 1996. Promulga a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher, concluída em Belém do Pará, em 9 de junho de 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1996/d1973.htm. Acesso em: 22 nov. 2020.

BUITONI, Dulcília Shroeder. Mulher de papel: a representação da mulher na imprensa feminina brasileira. São Paulo: Summus Editorial, 2009.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão de identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Anuário Brasileiro de Segurança Pública. 2020. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2020/10/anuario-14-2020-v1-interativo.pdf. Acesso em: 22. Nov. 2020

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Visível e Invisível: a vitimização de mulheres no Brasil. 2ª edição. 2019. Disponível em: http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/02/relatorio-pesquisa-2019-v6.pdf. Acesso em: 22 nov. 2020.

MORENO, Rachel. A imagem da mulher na mídia: controle social comparado. São Paulo: Expressão Popular, 2017.

ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: Princípios & Procedimentos. Campinas: Pontes, 2009.