CONSTITUIÇÃO FEDERAL E ENSINO DE HISTÓRIA CONHECIMENTO HISTÓRICO A PARTIR DA AULA-OFICINA

Artigo principal Conteúdo

Jeferson José Gevigier

Resumo

A reflexão acerca do ensino de história, pensando a prática de sala de aula faz-se necessária num contexto de transição e incertezas quando garantias fundamentais mais uma vez não são garantidas a todos, inclusive com a generalização do ensino remoto. A prática docente, dessa forma, deve possibilitar que os estudantes tenham instrumentos que possibilitem a eles apresentar progressões em sua cultura histórica através da pesquisa e da construção do conhecimento em sala de aula para perceber os direitos que lhe são negados e para compreender seu papel no processo de conquista e garantia dos direitos, significando sua própria existência e o tempo de forma histórica. O período da abertura política (década de 1980) e da Assembleia Nacional Constituinte é, portanto, privilegiado como objeto de reflexão em sala de aula com os estudantes da educação básica, para quem pretendemos propor sequências didáticas sobre esta temática específica, com base no modelo de aula-oficina desenvolvido por Isabel Barca. Portanto, a partir de nossa proposta, os estudantes poderão estudar a participação popular na construção da Constituição Federal compreendendo as ferramentas necessárias para que eles possam, de fato, participar efetivamente na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do Artigo

Como Citar
GEVIGIER, J. J. CONSTITUIÇÃO FEDERAL E ENSINO DE HISTÓRIA . Missões: Revista de Ciências Humanas e Sociais, v. 6, n. 4, p. 180-203, 29 abr. 2021.
Seção
Artigos

Referências

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Fazer defeitos nas memórias: para que servem o ensino e a escrita da história? In: GONÇALVES, Márcia de Almeida; ROCHA, Helenice; REZNIK, Luís, MONTEIRO, Ana Maria. (Org.). Qual o valor da história hoje? Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012, p. 21-39.

BARBOSA, Leonardo Augusto de Andrade. História constitucional brasileira [recurso eletrônico]: mudança constitucional, autoritarismo e democracia no Brasil pós-1964. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2018.

BARCA, Isabel. Aula Oficina: do Projeto à Avaliação. In. BARCA, Isabel [Org.] Para uma educação de qualidade: Atas da Quarta Jornada de Educação Histórica. Braga,Centro de Investigação em Educação [CIED]/ Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho, 2004, p. 131 – 144.

BARCA, Isabel. Ideias chave para a educação histórica: uma busca de (inter)
identidades. História Revista, Goiânia, v. 17, n. 1, 2012, p. 37- 51. Disponível
em: . Acesso em: 26
jun. 2020.

BARCA, Isabel. Literacia e consciência histórica. In: Educar, Curitiba: Editora UFPR. Especial, p. 93-112, 2006.

BRASIL, Câmara dos Deputados. Íntegra do discurso presidente da Assembléia Nacional Constituinte, Dr. Ulysses Guimarães. 1988. Disponível em . Acesso em 29 abr. 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados, Imprensa, arte & cidadania: 25 anos da constituição de 1988, Brasília, 8 out. 2013. Disponível em: goo.gl/ddFZG7. Acesso em: 30 nov. 2019.

BRASIL. Constituição [1988]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRUNELO, L. A Operação Marumbi no Estado do Paraná. In PRIORI, A., et al. História do Paraná: séculos XIX e XX [online]. Maringá: Eduem, 2012. pp. 215-234.

CERRI, Luis Fernando (org.). Os jovens e a história: Brasil e América do Sul. Ponta Grossa: Ed. UEPG, 2018.

CERRI, Luis Fernando. Ensino de História e consciência histórica. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011.

CERRI, Luis Fernando; AMÉZOLA, Gonzalo de El estudio empírico de la conciencia histórica en jóvenes de Brasil, Argentina y Uruguay. Didáctica De las Ciencias Experimentales y Sociales. N.º 24. 2010, p. 3-23

DIAP (DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ASSESSORlA PARLAMENTAR). Quem foi quem na Constituinte: nas questões de interesse dos trabalhadores. São Paulo: Cortez: Oboré. 1988. Disponível em . Acesso em 08 jul. 2020.

FERREIRA, Jorge. O Brasil Republicano: O tempo da nova república. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

LEE, Peter. Em direção a um conceito de literacia histórica. Educar em Revista. Especial. Dossiê: Educação Histórica, 2006.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: História do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2019.

NEVES, Ozias Paese. Imaginários e utopias na passagem entre ditadura e
redemocratização: o momento constituinte em cartilhas [1985-1988]. Tese de doutorado, UFPR: Curitiba, 2017.

RAMOS, Márcia Elisa Teté. Considerações sobre a construção da história escrita, ensinada e divulgada através da matriz disciplinar de Jörn Rüsen. In. Diálogos. Maringá. v. 22, n. 3. 2018.

VERSIANI, Maria Helena. Linguagens da cidadania: os brasileiros escrevem para a Constituinte de 1987/1988. Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getulio Vargas: Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil – CPDOC. 2013.