DO VÍDEO-EXERCÍCIO À VÍDEO-AULA: UMA PROPOSTA A PARTIR DE UMA ESTRATÉGIA AVALIATIVA INOVADORA

  • Lara Severo
  • Liziane Padilha Mena
  • Valesca Brasil Irala
  • Rafael Kobata Kimura
Rótulo vídeo-aula, avaliação, inovação

Resumo

No primeiro semestre de 2019, a partir da perspectiva colaborativa do self-study, pautada pela estratégia do critical friend (CORNEJO, 2016; SANDRETTO, 2016; SCHUCK & RUSSELL, 2016; BUTLER et al, 2011), nasceu a proposta da elaboração de uma rubrica avaliativa (BROOKHART, 2013) para nortear o processo de avaliação da produção de vídeo-exercícios produzidos por alunos de Física III, no campus Bagé da UNIPAMPA. Em um primeiro momento, os vídeo-exercícios vinham sendo propostos pelo docente responsável pela disciplina como uma das alternativas à prova escrita durante a etapa da recuperação da aprendizagem. Já em um segundo momento, quando implementada a perspectiva da avaliação dos vídeo-exercícios por meio de rubricas, também foi acrescentada a possibilidade de produção de vídeo-exercícios como alternativa a um exercício escrito na prova tradicional. Na proposta, era facultado aos alunos a produção dos vídeos, configurando a perspectiva docente com uma das possibilidades da avaliação de caráter inovador, a partir do princípio da regulação individualizada das aprendizagens, com foco na autorregulação (PERRNOUND, 1999). A partir da demanda do docente, foi proposta uma rubrica com seis níveis (do excelente à evidência insuficiente), com duas grandes dimensões (conteúdo e estética), além de uma dimensão denominada extra (a qual contempla elementos complementares e não-obrigatórios para a produção dos vídeos). A dimensão do conteúdo é subdividida em: conteúdo específico e didática. O conteúdo específico é dividido em a) fundamentação teórica, b) matemática, c) apresentação do problema, d) unidades. A didática é subdividida em a) confiança, b)estratégias, c)coesão e d) fluidez. Já a estética é subdividida em áudio e visual. O visual, ainda, subdivide-se em: a) legibilidade; b) enquadramento e c) nitidez. Um número expressivo de estudantes matriculados no componente optou pela realização do vídeo-exercício em um ou mais momentos do semestre e, com a implementação da rubrica, foi possível identificar a presença de vídeos com potencial para serem disponibilizados como vídeo-aulas para outros estudantes da universidade e público em geral, conforme dados coletados por meio de grupo focal (FLICK, 2013) com alunos matriculados no componente. Dessa experiência, nasceu a proposta de criação de um canal no Youtube chamado "Qual tua dúvida?", com foco em aspectos específicos de conteúdos ministrados no campus Bagé, através da parceria com docentes de componentes que apresentam maior quadro de reprovação, a fim de contribuir para melhorias no processo de aprendizagem dos alunos. Com isso, como conclusão, a rubrica criada para um componente específico, também servirá para construir os parâmetros de construção das vídeo-aulas disponibilizadas no canal em processo de implementação, inserido neste projeto de inovação tecnológica, criando, assim, uma identidade de conteúdo e de estética para o veículo, independente do componente a qual a vídeo-aula esteja vinculada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-14
Como Citar
SEVERO, L.; PADILHA MENA, L.; BRASIL IRALA, V.; KOBATA KIMURA, R. DO VÍDEO-EXERCÍCIO À VÍDEO-AULA: UMA PROPOSTA A PARTIR DE UMA ESTRATÉGIA AVALIATIVA INOVADORA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 4, 14 fev. 2020.