DETERMINAÇÃO DE TRANSMISSIVIDADE E COEFICIENTE DE ARMAZENAMENTO DE AQUIFERO ATRAVÉS DE TESTE DE BOMBEAMENTO

  • Lucas Deporte
  • Jonas Henrique Pereira
  • Thainã Pereira dos Santos
  • Rui Sergio Saraiva Duarte Junior
Rótulo Hidrogeologia, Hidráulica, Poços, Ensaio, Bombeamento, Transmissividade, Armazenamento

Resumo

Determinar a transmissividade (T) e o coeficiente de armazenamento (S) de um meio através de ensaio de bombeamento em poço tubular profundo, esse é o objetivo deste trabalho. A hidrogeologia é a ciência que estuda as águas subterrâneas quanto à sua ocorrência, movimento, volume, distribuição e qualidade. Aquíferos são unidades litológicas cm condições e quantidades de águas subterrâneas capazes de transmitir e ceder as mesmas para outros locais. Assim, os aquíferos, que, de acordo com o tipo de rocha em que se instalam podem ser porosos, fissurais ou até mesmo cársticos, desempenham papel fundamental no ciclo hidrológico: o de reservação e condução da água. Neste sentido, a locação de poços tubulares consiste em estudos multifatoriais, os quais avaliam a disponibilidade de poros nas formações geológicas, a capacidade de recarregamento e movimento das águas na zona saturada. Quando um poço é perfurado num aquífero livre, o nível dágua dentro deste é igual ao nível estático do aquífero, a medida que é iniciado o bombeamento a partir do mesmo, surge um cone de rebaixamento do nível dágua no entorno do poço. Esse cone de rebaixamento possui dimensões proporcionais às propriedades hidrodinâmicas do meio, assim, torna-se possível a verificação de propriedades do meio através de medições acerca da geometria do cone de rebaixamento e da velocidade de sua instalação: isso é chamado de ensaio de bombeamento. As propriedades mais comumente medidas, por exemplo, através da metodologia proposta por Cooper-Jacob (1946) são a transmissividade (T) e o coeficiente de armazenamento (S). Estas propriedades são específicas em cada meio. O meio em estudo trata-se um aquífero fissural instalado em rocha granítica com abundante fraturamento em suas bordas. Para realizar este projeto se fez uso de um poço para o bombeamento e outro para a observação espaçados em 30 metros. Através de observações com tempo em escala logarítmica, com duração máxima de 2 horas, foi verificando, para o mei9o em estudo, T = 0,1553 m²/h e S = 4,45209 x 10-5. Durante a observação dos dados obtidos, verificou-se que a reta dos dados plotados adquiriu estabilidade, entretanto, verifica-se também que para uma melhor visualização dos dados seria recomendável um maior tempo de observação (no mínimo 12 horas, tal como recomendam as normas técnicas). FEITOSA, F. A. C. Hidrogeologia: conceitos e aplicações. 3. ed. Rio de Janeiro: CPRM; LABHID, 2008.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-14
Como Citar
DEPORTE, L.; HENRIQUE PEREIRA, J.; PEREIRA DOS SANTOS, T.; SERGIO SARAIVA DUARTE JUNIOR, R. DETERMINAÇÃO DE TRANSMISSIVIDADE E COEFICIENTE DE ARMAZENAMENTO DE AQUIFERO ATRAVÉS DE TESTE DE BOMBEAMENTO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 4, 14 fev. 2020.