QUESTÕES SOBRE SEXUALIDADE E IDENTIDADE DE GÊNERO NA CONTEMPORANEIDADE.

  • Alan Carvalho
Rótulo identidade, gênero, sexualidade, diversidade

Resumo

A discussão a cerca da identidade de gênero, tornou-se um fenômeno cada vez mais recorrente no seio das discussões sociais, que apontam para um horizonte de reformulação conceitual. Desta forma, o presente trabalho procura traçar um paralelo entre o conceito de gênero masculino e feminino, trazendo para a luz do debate o pretenso terceiro gênero. Tentar-se-á traçar um paralelo entre aquilo que se entende por feminino e masculino, a fim de buscar compreender as manifestações da sexualidade que não se encaixam nestes dois conceitos enquanto identidade de gênero. O presente trabalho visa analisar os conceitos de biopolítica e cuidado de si a fim de compreender como se constrói a identidade de gênero, a partir do paradigma de Foucault, através do estudo da obra filosófica deste autor, A Historia da Sexualidade, para tal se recorreu a ao processo de análise bibliográfica. Em uma sociedade marcada pela égide patriarcal e falocêntrica o campo no qual se faz, ou se pretende fazer, a discussão sobre gênero e identidade não só é instável como também mutável. De forma geral a construção de nossa sociedade deu-se através de um processo binário, admitindo-se o masculino/macho e o feminino/fêmea. Contudo nos dias atuais sabe-se que tais concepções já não são vistas com tanta rigidez, frente às novas interpretações e conceituações sobre esta temática, possibilitando assim trazer para a luz desta discussão uma terceira categoria, que ao longo da história tentou-se deixar na obscuridade, o dito terceiro sexo. Para Michael Foucault a construção desta categoria tão central na condição humana advém da necessidade de conhecer a respeito do próprio sexo e aos dos outros, tal necessidade só é igualmente grande aos mecanismos que a reprime, lançando assim o que ele considerava ser a razão de tudo, o sexo, razão de tudo. No entanto, são vistas mudanças que nascem de reivindicações e movimentos sociais, que expressam críticas aos modelos clássicos de análise dos fenômenos da sexualidade contrariando o universalismo hegemônico sobre a temática. Surge daí uma possível forma de se tratar a questão da sexualidade, que sob o prisma do respeito à diversidade, adquire um novo viés teórico. A diversidade de identidades hoje deve ser considerada como um conceito de representações que os sujeitos sociais fazem a respeito de si. Estas identidades, sejam individuais ou coletivas, são construídas na relação com o outro e na alteridade. Mesmo frente a todos os avanços e conquistas no campo da sexualidade, é perceptível a existência de uma tentativa reguladora acerca da moral sexual coletiva. Este panorama demonstra a necessidade e a importância de um contínuo esforço reflexivo acerca destas questões na tentativa, não de esgotá-las, mas de possibilitar a construção de subsídios para um debate verdadeiramente democrático/emancipatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-14
Como Citar
CARVALHO, A. QUESTÕES SOBRE SEXUALIDADE E IDENTIDADE DE GÊNERO NA CONTEMPORANEIDADE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 4, 14 fev. 2020.