AVALIAÇÃO DO POTENCIAL GENOTÓXICO DE FÁRMACOS ANTI-HIPERTENSIVOS EM CULTURAS DE LEUCÓCITOS HUMANOS

  • MARIA LEÃO
  • Maria Fernanda de Moura Leão
  • Bruna Medina
  • Luciana de Medeiros Alves
  • Mariana Balhego da Rocha
  • Michel Mansur Machado
  • Luís Flávio Oliveira
Rótulo hipertensão, genotoxicidade, enalapril, hidroclorotiazida

Resumo

A hipertensão arterial é uma doença que afeta muitas pessoas ao redor do planeta. Possui tratamentos específicos a partir de fármacos já estabelecidos, como os inibidores da ECA e diuréticos tiazídicos, fármacos estes lançados antes de 2004, excluindo-se assim, a obrigatoriedade de testes de toxicidade. Nesse sentido, se faz importante a avaliação genotoxicológica, através do teste Cometa, de fármacos como o enalapril e a hidroclorotiazida. Essa avaliação foi realizada em culturas celulares expostas a diferentes concentrações dos fármacos testados e submetidos ao Teste Cometa. Os resultados mostram que concentrações maiores de enalapril, podem levar a lesões no DNA, o que não é mostrado em diferentes concentrações de hidroclorotiazida; mostrando que erros de cálculo de dose ou até diferenças metabólicas podem contribuir na geração de danos em nível de DNA.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-12
Como Citar
LEÃO, M.; FERNANDA DE MOURA LEÃO, M.; MEDINA, B.; DE MEDEIROS ALVES, L.; BALHEGO DA ROCHA, M.; MANSUR MACHADO, M.; FLÁVIO OLIVEIRA, L. AVALIAÇÃO DO POTENCIAL GENOTÓXICO DE FÁRMACOS ANTI-HIPERTENSIVOS EM CULTURAS DE LEUCÓCITOS HUMANOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 7, n. 4, 12 fev. 2020.