PREVALÊNCIA DE NOSEMA APIS E NOSEMA CERANAE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

  • Rafael Tresbach
  • Éverton Cadaval
  • Aroni Sattler
  • Andrés Delgado Cañedo
  • Juliano Tomazzoni Boldo
Rótulo nosemose, sanidade, apícola, Apis, mellifera, mel

Resumo

A abelha melífera (Apis mellifera) compõe o grupo de animais que realizam polinização, processo responsável pela propagação das plantas. Elas também fornecem produtos ao homem, como mel e outros. Porém, é observada a queda na população mundial de abelhas e uma das causas são os patógenos, como os microsporídios Nosema apis e Nosema ceranae, que levam a um quadro diarreico e, posteriormente, à morte. O presente trabalho objetiva mapear a prevalência destes dois patógenos no Estado do Rio Grande do Sul durante os anos de 2009 a 2014. Para tal, foi padronizada e realizada a detecção de N. apis e N. ceranae a partir do DNA de, inicialmente, quatorze amostras de mel, todas do ano de 2014, utilizando primers para genes ribossomais 16S. O resultado foi analisado qualitativamente por eletroforese em gel de agarose. Das amostras analisadas até o momento, treze foram positivas para N. ceranae e dez para N. apis. Os resultados demonstram que as espécies avaliadas estão presentes no RS e justificam análises mais extensas. Assim, como perspectiva, serão avaliadas um total de 152 amostras coletadas ao longo do território gaúcho. Os resultados determinarão os locais de maior prevalência e auxiliarão medidas de manejo sanitário, caso necessário.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-12
Como Citar
TRESBACH, R.; CADAVAL, ÉVERTON; SATTLER, A.; DELGADO CAÑEDO, A.; TOMAZZONI BOLDO, J. PREVALÊNCIA DE NOSEMA APIS E NOSEMA CERANAE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 7, n. 4, 12 fev. 2020.