USO DE UM MODELO EM PEQUENA ESCALA PARA O ENSINO DE SEPARAÇÃO DE MISTURAS

  • Silvana Zuge
  • Paulo Henrique Guadagnini
  • Vania Elisabeth Barlette
Rótulo separação, misturas, modelo, estação, tratamento, água, aprendizagem, ativa, ensino, química

Resumo

Este estudo trata do uso da experimentação no ensino de química na educação básica, especificamente a construção de conceitos envolvidos nos processos de separação de misturas utilizando um protótipo modelo em pequena escala de uma estação de tratamento de água (ETA). O objetivo geral é avaliar a compreensão conceitual de estudantes do ensino fundamental envolvida nos processos de separação de misturas com o uso de um modelo em pequena escala de uma ETA; e, como objetivos específicos construir um protótipo modelo da ETA em microescala com materiais de baixo custo; elaborar um guia de atividade; e, analisar a compreensão dos estudantes sobre os processos de separação de misturas a partir do protótipo. A metodologia envolveu duas sessões, de duas horas-aula cada, com treze estudantes de uma turma de 9º ano de uma escola pública municipal na cidade de São Borja, RS. A atividade prática foi elaborada em uma abordagem de aprendizagem ativa. O protótipo da ETA foi utilizado como mediador na construção da compreensão dos processos de separação de misturas, e o professor como facilitador no processo de aprendizagem. Para a construção do protótipo, foram utilizadas garrafas PET, tubos e conexões de PVC, mangueiras, areia, entre outros, com compartimentos de fácil visualização para permitir a construção conceitual acerca dos principais métodos de separação (decantação, floculação e filtração) utilizados em ETA que servem as cidades. A sessão de aulas consistiu em duas etapas: observação registro esquemático do funcionamento do protótipo pelos participantes; e, execução e registro de um ensaio de tratamento de duas amostras de água (água potável e água barrenta) com caracterização do comportamento das amostras em cada compartimento do protótipo. Para cada amostra, os participantes registraram as suas observações sobre o comportamento das amostras de água antes, durante e após o tratamento (cor, aspecto visual, turbidez, presença de sólidos em suspensão, odor). Os resultados analisados se referem aos registros no guia de atividade de três participantes. Os registros esquemáticos mostraram em detalhe as etapas do funcionamento do protótipo, indicando que houve engajamento dos participantes no processo de observação. Os registros escritos do comportamento das amostras, ao longo do processo de tratamento, indicaram que os participantes analisados identificaram os aspectos e características das amostras de água (cor, aspecto visual, turbidez, presença de sólidos em suspensão e odor), e que, um deles, mostrou entendimento dos processos físico-químicos envolvidos e apresentou indícios de compreensão dos conceitos envolvidos nos processos de separação de misturas. Avaliamos que os resultados obtidos através da aplicação da atividade proposta foram positivos, sugerindo que o uso do protótipo da ETA, como parte de uma sequência didática sobre processos de separação de misturas, pode ser relevante para a aprendizagem. Conclui-se que a aplicação de atividades práticas orientadas, que enfatizem a participação ativa dos estudantes, e reflexões sobre as observações com a utilização de um instrumento de interação (protótipo da ETA) podem contribuir para a construção dos conceitos envolvidos nos processos de separação de misturas por parte de estudantes do 9º ano do ensino fundamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-12
Como Citar
ZUGE, S.; HENRIQUE GUADAGNINI, P.; ELISABETH BARLETTE, V. USO DE UM MODELO EM PEQUENA ESCALA PARA O ENSINO DE SEPARAÇÃO DE MISTURAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 7, n. 4, 12 fev. 2020.