CONHECIMENTO DE ESCOLARES SOBRE FREQUÊNCIA SEMANAL E TEMPO DE PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA

  • Rhenan de Jesus
  • Márcio José Ibarra Vieira
  • Caroline Vargas Peres
  • Werner Zacarias Lopes
  • Jaqueline Copetti
Rótulo Atividade, Física, Frequência, semanal, tempo, prática, Escolares

Resumo

Tema: O conhecimento de temáticas relacionadas à prática de atividade física se torna essencial para que os escolares possam conhecer alguns benefícios à saúde. Objetivos: Investigar que conhecimento os estudantes apresentam sobre a frequência semanal e o tempo de prática de atividade física necessários para que se possa ter benefício à saúde, a partir do entendimento dos escolares do Ensino Fundamental do 7º ano. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa descritiva exploratória de cunho transversal, para se conhecer determinadas informações e sendo capaz de descrever os fatos e fenômenos de determinada realidade. Utilizamos a análise documental para o levantamento bibliográfico da temática. Participaram 15 escolares, de ambos os sexos, do 7º ano do Ensino Fundamental de uma escola da rede estadual de ensino de Alegrete-RS. Todos os participantes foram informados sobre os procedimentos do estudo, os quais participaram de maneira voluntária e por conveniência, e assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) com ciência dos seus pais e/ou responsáveis. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação de um questionário antes e depois (pré-teste e pós-teste) da intervenção educativa (aulas teóricas com exposição de vídeo-aula) com as seguintes questões: 1) Em sua opinião, qual o tempo mínimo de prática de atividade física para que se tenham benéficos à saúde? e 2) No seu entendimento, qual a frequência semanal ideal de prática de atividade física para que se tenham benéficos à saúde?. Os dados quantitativos foram revistos e digitados em planilhas EXCEL (97-2003) e analisados, posteriormente, no programa estatístico SPSS versão 19 para checagem automática e consistente por suas variáveis, percentuais e quantitativos. Resultados: Para a primeira questão, podemos perceber que o conhecimento dos escolares investigados, antes e depois da intervenção escolar, obteve uma melhora quando se tratando do mínimo recomendado pelo World Health Organization (WHO, 1998), sendo de 30 minutos diários com frequência de no mínimo três vezes na semana. Para o segundo questionamento, podemos deduzir que houve um entendimento mais acurado dos alunos depois do desenvolvimento das atividades de aula aplicada, pois, no Pós-teste, nenhum dos alunos deixaram de responder essa questão, ao contrário se comparado ao Pré-teste, onde dois alunos responderam a alternativa não sei. Conclusão: Podemos evidenciar pelos entendimentos dos alunos que, após a intervenção realizada, eles apresentaram um conhecimento mais acurado sobre a frequência semanal e o tempo mínimo de prática de atividade física para se ter benefícios à saúde, conforme os padrões estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde. Esta percepção foi mais enfática no desenvolvimento das aulas expositivas sobre a temática em estudo, o que pode causar uma grande preocupação e discussão de outros temas relacionados. Além disso, identificamos que existe uma associação entre a atividade física e a prevenção de doenças, pois a prática da primeira pode influenciar (in)diretamente no combate e prevenção de doenças em relação à saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-12
Como Citar
DE JESUS, R.; JOSÉ IBARRA VIEIRA, M.; VARGAS PERES, C.; ZACARIAS LOPES, W.; COPETTI, J. CONHECIMENTO DE ESCOLARES SOBRE FREQUÊNCIA SEMANAL E TEMPO DE PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 7, n. 4, 12 fev. 2020.