TRANSVERSALIZANDO A ORIENTAÇÃO SEXUAL NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

  • Claudia Barboza
  • Jeronimo Sartori
Rótulo Orientação, sexual, tema, transversal, intervenção, pedagógica, PCNs

Resumo

A escola é um espaço de convivência e de trocas de experiências, que possibilita a socialização e apreensão de novas aprendizagens, oriundas do compartilhamento das diferentes culturas e da interação social que a escola propicia. É dever da escola, portanto, ofertar uma educação emancipatória, voltada para o desenvolvimento integral do educando. O presente trabalho trata de uma pesquisa de intervenção pedagógica acerca do tema transversal Orientação Sexual, nas séries finais do Ensino Fundamental (7º e 8º anos), numa Escola Municipal de Ensino Fundamental, na cidade de São Gabriel- RS. A ação adotada referente ao tema transversal - Orientação Sexual -, precisa ser considerada como um processo de intervenção metodológica, que se propõe a obter/fornecer informações sobre sexualidade, bem como, organizar um espaço de reflexões e questionamentos sobre diferentes enfoques: importância da prevenção contra DSTs e gravidez indesejada, mudanças corporais, identidade, relações interpessoais, autoestima, relações de gênero, tabus, crenças e valores a respeito de relacionamentos, comportamentos sexuais e DSTs. Sexualidade é uma questão processual, uma questão de vivência e de experimentação. A construção do gênero e da sexualidade ocorre ao longo de toda a vida do sujeito. Apesar dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) sofrerem críticas oriundas de diferentes pensadores e esferas da educação, é inegável que estes documentos instituíram a discussão acerca da educação sexual nas escolas. Cabe, então, a cada realidade projetar o alcance sobre o entendimento e o desvelamento dos corpos e da sexualidade latente entre os estudantes da educação básica.O projeto, desenvolvido numa escola municipal de ensino fundamental da cidade de São Gabriel - RS, trata de uma pesquisa documental, realizada por meio do levantamento de dados, através de um questionário e de uma intervenção pedagógica, referenciando a educação sexual na escola, em que foram envolvidos alunos e comunidade escolar. A escola campo de estudo foi criada em 18 de setembro de 1956, situada no perímetro urbano da cidade de São Gabriel. Partimos de um questionamento aberto-fechado para identificar características do comportamento sexual dos adolescentes participantes do projeto. O passo seguinte constituiu-se na intervenção propriamente dita: textos informativos, vídeos para discussão, jogos entre equipes da turma e das duas turmas envolvidas no estudo, confecção de murais e realização de palestras para alunos e demais membros da comunidade escolar, ministradas por alunos da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. A pesquisa de intervenção escolar possibilitou-nos transcender a postura de repassar informações. A cátedra da transversalidade não é disciplinar, difunde-se na interdisciplinaridade, mediando a relação intrínseca do sujeito com o seu pensar e o seu agir, na construção de novas posturas e novos comportamentos. A sexualidade precisa ser vista como um dos componentes essenciais para o desenvolvimento saudável do indivíduo, por isso, não pode ser desprezada dentro do processo educativo. O diálogo aberto voltado às suas necessidades fez com que os alunos criassem um vínculo maior com o projeto, ficando mais desinibidos para dialogar e sanar suas dúvidas, expondo seus receios e suas perspectivas em relação à sexualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-12
Como Citar
BARBOZA, C.; SARTORI, J. TRANSVERSALIZANDO A ORIENTAÇÃO SEXUAL NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 7, n. 4, 12 fev. 2020.