SILÍCIO ASSOCIADO À APLICAÇÃO DE FUNGICIDAS PARA CONTROLE DA REQUEIMA DA BATATA (PHYTOPHTHORA INFESTANS)

  • Renato Guerra
  • Nívea Raquel Ledur
  • Adriano Ludwig
  • Ricardo Boscaini
  • Ivan Francisco Dressler da Costa
  • José Roberto Chaves Neto
Rótulo Batata, Fungicida, Phytophthora, infestans, Requeima, Silício

Resumo

A batata (Solanum tuberosum L.) é uma cultura de grande importância devido ao elevado valor nutricional e alto rendimento por área. Em nível mundial, é em ordem de importância econômica, a quarta cultura agrícola. No Brasil a batata tem sido cultivada principalmente nas regiões Sudeste e Sul, e na safra 2015 a produção total nacional foi de aproximadamente 3.500.000 ton., em uma área colhida ao redor de 125.000 ha, apresentando produtividade média próxima de 28.000 kg.ha-1. No Rio Grande do Sul, a área da última safra foi de aproximadamente 19.000 ha, com produtividade média próxima à 21.000 kg.ha-1. Assim como todos os demais cultivos, a produtividade desta cultura pode ser reduzida por uma ampla gama de fatores, sejam eles bióticos e/ou abióticos. As limitações por problemas fitossanitários, com destaque para as doenças, devem sem vencidas, para com isso se alcançar maiores níveis de produtividade na cultura. A manifestação de doença sobre a planta vai depender das relações que ocorrem entre um patógeno agressivo, um hospedeiro suscetível e um ambiente favorável. Dentre as doenças que a cultura está exposta, a requeima, causada pelo patógeno Phytophthora infestans é a mais agressiva e importante. Nas regiões produtoras do Brasil, geralmente o número de aplicações são excessivas, pois são realizadas desconsiderando o processo que ocorre entre o patógeno e as condições ambientais, de maneira que a requeima é uma doença extremamente dependente das condições ambientais. Dessa forma, o trabalho realizado teve como objetivo testar o efeito de diferentes fungicidas, quando aplicados na cultura da batata, associados ao silício (Si) em aplicação foliar, na produtividade e no controle da requeima. O experimento foi instalado na safra agrícola de 2012, no município de Itaára RS. O delineamento utilizado foi de blocos ao acaso, com oito tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram T1: Piraclostrobina + Metiram + Si; T2: Metiram + Si; T3: Piraclostrobina + Si; T4: Piraclostrobina + Metiram; T5: Metiram; T6: Piraclostrobina; T7: Metalaxil + Mancozeb e T8: Testemunha. A aplicação dos fungicidas foi realizada conforme a recomendação técnica, totalizando sete aplicações, e a de silício, a cada 15 dias, após a primeira aplicação de fungicida, totalizando quatro. Durante o ciclo da cultura, foi avaliada a severidade de requeima, e com a colheita se avaliou a produtividade comercial. Os dados obtidos permitem determinar o maior efeito das aplicações foliares de silício sobre os níveis de produtividade, produzindo uma diferença média de 5.236,90 kg.ha-1 em favor dos tratamentos com aplicação de Si, e uma diferença de 12.616,7 kg.ha-1 quando comparada a testemunha. Para o controle da Requeima, a eficiência dos fungicidas não apresentou diferença estatística quando comparadas entre si, apresentando apenas se comparados ao tratamento testemunha sem aplicação. Para a Área Abaixo da Curva de Progresso da Requeima, os tratamentos com aplicação de Si apresentaram diferença estatística quando comparadas aos demais tratamentos. Pode-se concluir que houve eficácia dos fungicidas e efeito potencializador no uso do Si, tanto no controle da requeima, retardando a evolução da doença, quanto na produtividade de tubérculos de batata.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-12
Como Citar
GUERRA, R.; RAQUEL LEDUR, N.; LUDWIG, A.; BOSCAINI, R.; FRANCISCO DRESSLER DA COSTA, I.; ROBERTO CHAVES NETO, J. SILÍCIO ASSOCIADO À APLICAÇÃO DE FUNGICIDAS PARA CONTROLE DA REQUEIMA DA BATATA (PHYTOPHTHORA INFESTANS). Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 7, n. 4, 12 fev. 2020.