PROMOVENDO O ENSINO DE CIÊNCIAS E EXPERIMENTAÇÃO CIENTÍFICA NA REDE PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAQUI/RS

  • Lucas Santos Bastos
  • Vandreza Cardoso Bortolotto
  • Stífani Machado Araujo
  • Eliza Aparecida Santos Musachio
  • Márcia Rósula Poetini
  • Marina Prigol
Rótulo Experimentação, cientifica, Extensão, universitária, Biologia, Química

Resumo

A educação científica é o que da a oportunidade para as crianças explorarem e entenderem o que existe ao seu redor nas mais diferentes dimensões humanas, sociais e culturais. Estimular crianças a observar, questionar e investigar é um caminho que a educação científica permite de maneira lógica; trazendo o entendimento do que são os seres vivos e o meio em que vivem, além dos eventos do dia a dia. Entretanto observamos que o analfabetismo científico aumenta gradativamente a desigualdade, marginalizando no mercado de trabalho aqueles que em sua maioria já são excluídos. Sem um experimento nada pode ser conhecido adequadamente. Um argumento prova sob o ponto de vista teórico, mas não leva a necessária certeza para remover todas as duvidas. Nos últimos anos, as notas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) no município de Itaqui, referente aos dados de 2013 o 9° ano do ensino fundamental atribuiu nota 3.0. Não sendo diferente da realidade brasileira, todavia é mais baixa que a média esperada. Assim o objetivo geral deste trabalho é popularizar a ciência e o método cientifico por meio de ações junto a professores e alunos da rede de ensino pública, com baixo IDEB, do município de Itaqui/RS. O presente trabalho ocorreu nas dependências de duas instituições do Município de Itaqui, Rio Grande do Sul (Universidade Federal do Pampa, Campus Itaqui e Escola Municipal Ulissea Lima Barbosa). O material didático desenvolvido foi feito para facilitar o aprendizado e o raciocínio dos alunos do 7°, 8° e 9° ano. Esses materiais teóricos consistiram em jogos de caças palavras, figuras de colorir e questionários. As atividades praticas utilizaram recursos da própria universidade como material biológico e microscópios ópticos. Para facilitar a visualização dos reinos fungi e monera foi mostrado exemplares de bactérias, fungos e nematóides pertencentes ao reino animal, com a ajuda de microscópio óptico. Os alunos foram levados a Universidade para visualizar diferenças entre células animais, vegetais e bacterianas, além de acompanharem a técnica de extração de DNA. O desempenho dos alunos foi medido nas atividades realizadas e a taxa de alunos que obtiveram êxito nos jogos foi de 88,8% para o 7° ano e 89,5; 68; 81,25 e 88% para o 8°A, 8°B, 9°A e 9°B. Já quando realizado o questionário sobre o assunto abordado o desempenho foi respectivamente de 77,77; 94.73; 75; 25 e 27,77%. As atividades foram realizadas com consulta e explicações, todavia quando necessário a síntese do assunto e a não consulta do material didático os alunos tiveram um desempenho inferior. Podemos concluir que nas atividades de jogos os alunos possuíram uma taxa de êxito maior que nas atividades escritas onde precisavam elaborar respostas ou simplesmente copiar do material didático. Foi possível observar grande interesse em parte dos alunos e o estimulo gerado durante as atividades, principalmente as praticas, onde puderam visualizar de uma forma palpável toda a teoria que lhes é dada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
SANTOS BASTOS, L.; CARDOSO BORTOLOTTO, V.; MACHADO ARAUJO, S.; APARECIDA SANTOS MUSACHIO, E.; RÓSULA POETINI, M.; PRIGOL, M. PROMOVENDO O ENSINO DE CIÊNCIAS E EXPERIMENTAÇÃO CIENTÍFICA NA REDE PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAQUI/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.