AÇÕES DE INCLUSÃO DIGITAL E PEDAGOGIA ATIVA NO CENTRO DO IDOSO EM BAGÉ/RS

  • Gabriella Ferreira
  • Amanda Ricardo Mello
  • Emily Ximendes Martins
  • Daniela Martins Leal
  • Maria Elaine Leon
  • Paula Lemos Silveira
Rótulo Inclusão, Social, Idosos, Pedagogia, ativa, Alfabetização, digital

Resumo

Nas últimas décadas houve um expressivo avanço tecnológico, seja por um contexto social, econômico ou cultural e nem todas as pessoas acompanharam esse desenvolvimento. A tecnologia se consolidou em casas, empresas e instituições, na medida em que o tempo passa se torna mais urgente possuir conhecimentos básicos acerca das tecnologias disponíveis, pela dependência dos recursos tecnológicos transparecendo assim as mudanças, concepções e comportamentos de viver em uma sociedade globalizada e conectada. Neste contexto por meio de ações de extensão do Projeto Inclusão Digital do Pampa URCAMP, Campus Bagé/RS, alunas dos cursos de graduação se dedicam a formação e alfabetização digital promovendo inclusão social de indivíduos da terceira idade, com dificuldades de acesso a cultura digital disponível. Evidenciou-se a necessidade da abordagem de recursos considerados básicos, como o uso de smartphones e computadores, de ferramentas computacionais e aplicativos de escritório, redes sociais, jogos digitais, dicas de segurança na internet, WhatsApp e experiências de imersão com realidade virtual. No primeiro semestre de 2019, foi desenvolvido um total de 50 horas de curso, com 33 participantes que são assistidos do Centro do Idoso de Bagé/RS. A metodologia de ensino adotada aliou uso de pedagogia ativa, aprendizagem baseada em problemas, sala de aula invertida e aulas expositivas dialogadas, referenciando um ponto de familiaridade dos aprendentes, moldando o saber às necessidades e dificuldades de cada indivíduo, sendo bastante eficaz ao público abordado. A aprendizagem se deu pelo desenvolvimento de atividades e vivências práticas, com enfoque na gamificação, que consiste em usar ideias e mecanismos de recompensa para estimular alguém a fazer algo, na busca de despertar a curiosidade dos usuários e os engajar digitalmente, promovendo integração digital e social. O público foi assíduo e participativo, onde 24,25% eram homens e 75,75%; mulheres, 93,94% dos integrantes procuraram o projeto no intuído de ter uma atividade diferenciada para compor sua rotina. No início das aulas 96,97% dos alunos relatou ter pouco ou nenhum conhecimento sobre as ferramentas trabalhadas e ao final do projeto, os mesmos relataram mudanças em suas atitudes com relação ao uso de computadores por se sentirem mais confiantes, capacitados e familiarizados com as ferramentas abordadas. O projeto em questão trouxe grande satisfação aos mediadores do processo de ensinagem, que são alunos voluntários e bolsista, ministrantes, que ao final do ciclo de capacitações observaram como sendo nítida a evolução dos participantes, desde o início da capacitação, quando tinham receio até para ligar e desligar um dispositivo, as experiências de imersão e demonstração de domínio e gosto pelo uso da tecnologia em si, obtendo assim independência social, ganho em proatividade e busca constante por novos desafios e mais conhecimento deste mundo novo e conectado a ser alcançado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
FERREIRA, G.; RICARDO MELLO, A.; XIMENDES MARTINS, E.; MARTINS LEAL, D.; ELAINE LEON, M.; LEMOS SILVEIRA, P. AÇÕES DE INCLUSÃO DIGITAL E PEDAGOGIA ATIVA NO CENTRO DO IDOSO EM BAGÉ/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.