RELATO SOBRE O PROJETO DIFUNDINDO CIÊNCIA E TECNOLOGIA NA REGIÃO DA CAMPANHA – CAMPUS BAGÉ

  • Jéssica Vaz Falcão
  • Gabriela Solari Maciel
  • Cícero Gularte Scaglioni
  • Pedro Fernando Teixeira Dorneles
Rótulo Feiras, ciências, Pesquisa, Alfabetização, científica

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar o projeto de extensão Difundindo Ciência e Tecnologia na Região da Campanha, desenvolvido no Campus Bagé da Unipampa, que há 9 anos propicia a professores e alunos das redes estadual e municipal de ensino uma aprendizagem através da construção do conhecimento ao participarem das feiras de ciências e das ações de formação continuada de professores. O projeto teve início em 2011, fruto de uma parceria entre os campi Bagé e Caçapava do Sul da Unipampa. Do início do projeto até a edição de 2013 foram realizadas feiras nos dois campi. A partir daí, optou-se por desmembrar a proposta para poder pleitear, junto ao CNPq, orçamento maior para cada projeto. As feiras de ciências sempre contaram com a participação de colégios das cidades vizinhas. Essa participação despertou, inicialmente, no município de Candiota o desejo de criar uma feira municipal que credenciasse trabalhos para a feira do campus Bagé. Assim, aconteceu no ano de 2013 a 1ª FEICAN - Feira de Ciências, Arte e Tecnologia de Candiota. Desde então, a feira se mantém ininterrupta e no corrente ano ocorreu sua 7ª edição. A criação de uma feira afiliada a de Bagé deu mais destaque ao projeto. Esse crescimento também despertou no município de Hulha Negra o interesse em realizar sua própria feira municipal. Sendo assim, neste ano ocorreu a 1ª FECIHUNE - Feira de Ciências de Hulha Negra. Hoje, a FEICAN e a FECIHUNE são feiras classificatórias para feira de Bagé. Nesses nove anos de projeto 1139 trabalhos foram apresentados. Mais de 4 mil alunos participaram das feiras. Neste ano foram apresentados na FECIHUNE, FEICAN e Feira de Ciências Campus Bagé, respectivamente, 56, 73 e 83 trabalhos. Observa-se que o projeto cresceu muito e que a cada edição há maior participação de alunos e professores. A Feira de Ciências do Campus Bagé se credencia, aos poucos, como um evento regional. Por fim, concluímos que as feiras de ciências despertam nos professores e, principalmente, nos alunos o interesse pela investigação, promovem o pensamento crítico e auxiliam na alfabetização científica. Através desse projeto mostramos que é possível explorar novos caminhos de ensino-aprendizagem, sugerindo que a implementação das feiras de ciências nas escolas é uma ótima alternativa para despertar o interesse dos alunos pela pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
VAZ FALCÃO, J.; SOLARI MACIEL, G.; GULARTE SCAGLIONI, C.; FERNANDO TEIXEIRA DORNELES, P. RELATO SOBRE O PROJETO DIFUNDINDO CIÊNCIA E TECNOLOGIA NA REGIÃO DA CAMPANHA – CAMPUS BAGÉ. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.