DOENÇAS PARASITÁRIAS: ORIENTAÇÃO EDUCATIVA EM ESCOLAS DE DOM PEDRITO E REGIÃO

  • Marcele Ribeiro Corrêa
  • Gustavo Freitas Lopes
  • Mikaele Simas dos Santos
  • Geovana Chaves Dorneles
  • Anelise Afonso Martins
  • Lourdes Caruccio Hirschmann
Rótulo Prevenção, Escolas, Zoonoses

Resumo

Introdução: O termo zoonose é definido segundo a organização mundial de saúde como infecções que são adquiridas através do contato entre animais e humanos, que podem ser transmitidas de forma indireta ou direta, sendo um grande problema de saúde pública. As crianças são mais suscetíveis pela imaturidade imunológica e exposição aos parasitas através de brincadeiras com animais e/ou em locais contaminados como praças, além da ingestão de alimentos sem higienização. Por tanto, são necessárias orientações nas escolas, sendo melhor assimiladas na fase de aprendizado. Objetivo: Buscou-se por meio do projeto de extensão aproximar a universidade à comunidade, através de ações práticas em parasitologia animal fornecendo orientação educativa para prevenção de zoonoses parasitárias em escolas da região. Materiais e métodos: O projeto é realizado no Laboratório de Parasitologia da Universidade Federal do Pampa Campus Dom Pedrito, atendendo a comunidade de Dom Pedrito e região, desde 2014. Para a orientação educativa, escolas de ensino fundamental e médio são recebidas no laboratório, onde são realizadas palestras e atividades práticas com auxílio de equipamento multimídia, microscópios e estereomicroscópios conforme o nível de escolaridade da turma. Nestas atividades foram abordados os principais parasitas de interesse zoonóticos, forma de infecção, prevenção e possibilitada à visualização de exemplares de alguns parasitas para melhor entendimento. Da mesma forma, disponibilizou-se às escolas a identificação de possíveis fontes de contaminação em áreas de lazer (praças). Resultados e discussão: Foram recebidas no laboratório 11 escolas, sendo 10 da cidade de Dom Pedrito e 1 de Santana do Livramento, compreendendo 33 turmas entre pré-escola e ensino médio, totalizando 672 alunos. Dessas 54,54% (18/33) eram turmas compostas por crianças com faixa etária entre 4 e 10 anos, 33,33% (11/33) entre 11 anos a 15 anos e 12,12% (4/33) eram turmas com faixa etária maior que 16 anos. Dentre as principais endoparasitoses estavam as ascaridíases, toxocaríase e as estrongiloidoses que possuem grande importância em saúde pública, pois afetam principalmente crianças em fase escolar. Durante o projeto uma escola solicitou a análise da areia utilizada na pracinha onde as crianças brincavam, a qual fica em uma área coberta, foi constatado a presença de ovos de Toxocara spp e Strongyloides stercoralis, potenciais contaminantes de crianças, com isso, foi sugerido a descontaminação da areia. Conclusão: Durante o projeto foi possível contribuir com a orientação sobre a necessidade de prevenção de doenças parasitarias. Da mesma forma, constatou-se que áreas de lazer são fontes de infecção e devem ser analisadas, para que sejam interditadas e descontaminadas. Portanto, é essencial a conscientização e ação profilática em escolas, com o intuito de diminuir e/ou prevenir parasitoses gastrintestinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
RIBEIRO CORRÊA, M.; FREITAS LOPES, G.; SIMAS DOS SANTOS, M.; CHAVES DORNELES, G.; AFONSO MARTINS, A.; CARUCCIO HIRSCHMANN, L. DOENÇAS PARASITÁRIAS: ORIENTAÇÃO EDUCATIVA EM ESCOLAS DE DOM PEDRITO E REGIÃO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.