IGUALDADE DE GÊNERO NA ESCOLA: UM DIÁLOGO POSSÍVEL

  • Emilson Braga Santana
  • Eleonora Leguiçamo Centena Silva
  • Elena Maria Billig Mello
Rótulo Gênero, Igualdade, Escola, Diálogo, Direitos, Humanos

Resumo

Pensar sobre o feminino e sobre como o enxergamos é refletir sobre discursos e construções que nos atravessam desde muito tempo e que acabam por construir a forma como nos relacionamos com o mundo e com o outro. A igualdade de gênero é descrita no inciso primeiro do Artigo 5º da Constituição Federal de 1988. No meio jurídico, este conceito está inserido no Princípio da Igualdade. Em todos os ambientes, devemos pensar, criticamente, sobre o papel da mulher na sociedade, a fim de desmitificar as desigualdades sociais construídas ao longo dos tempos. Consideramos esta temática de extrema relevância, pois o ser humano, independente de seu gênero e identidade social, deve ser valorizado, pois vivemos em uma sociedade que cada vez mais exige respeito e equidade. Nesse sentido, este trabalho relata a oficina sobre igualdade de gênero desenvolvida com estudantes do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental II de uma escola municipal de Uruguaiana, cujo objetivo foi promover a discussão sobre gênero e igualdade. A iniciativa da proposta surgiu com a participação da Escola em projetos realizados pela Secretaria de Educação do Município (SEMED), sendo a escola responsável por levar o objetivo 5 (igualdade de gênero), que faz parte dos 17 objetivos do Desenvolvimento Sustentável também conhecidos como Objetivos Globais. Esses são um chamado universal para ação contra a pobreza, proteção do planeta e garantia de direitos humanos. A partir disso, foi pensada a organização de uma oficina, dividida em sete blocos principais e uma sistematização final, a fim de possibilitar o diálogo com os discentes. Para esta escrita, foram considerados os resultados dos dois primeiros blocos da referida oficina. No primeiro encontro, foi realizada exposição dialogada sobre a temática gênero e alguns termos relacionados à mesma. Porém, antes disso, foi solicitado aos alunos que escolhessem até cinco palavras relacionadas a gênero; após a discussão, foram solicitadas outras cinco palavras. Ao fazermos um breve comparativo, percebemos que, na fase inicial, foram relacionados termos como gêneros textuais e musicais, por exemplo. Já na última parte, foram encontrados termos como feminismo e respeito, demonstrando que os educandos compreenderam a proposta. No segundo encontro da oficina, foram introduzidos temas relacionados aos Direitos Humanos, sendo solicitado ao final, a produção de escritas a partir da questão: Quais direitos queremos?. Nesta fase surgiu desde respeito até grêmio estudantil. Com a desenvolvimento da oficina, percebemos o quanto é importante trazer à discussão temáticas relacionadas à igualdade de gênero e aos direitos humanos, pois, dentro do ambiente escolar, conseguimos refletir sobre as violências presentes e inserir a política como algo importante e presente nos espaços sociais e na vivência dos alunos em seu papel de cidadãos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
BRAGA SANTANA, E.; LEGUIÇAMO CENTENA SILVA, E.; MARIA BILLIG MELLO, E. IGUALDADE DE GÊNERO NA ESCOLA: UM DIÁLOGO POSSÍVEL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.