CONSTRUINDO SABERES E COMPARTILHANDO VIVÊNCIAS: AÇÃO DA UNIVERSIDADE JUNTO AOS AGRICULTORES FAMILIARES

  • Albina Graciéla Aguilar Meus
  • Ederson da Silva Messa
  • João Andrew Vieira de Mattos
  • Graciéle Pereira Souza
  • Paulo Roberto Cardoso da Silveira
Rótulo Feira, extensão, construção, saberes

Resumo

As feiras de produtores rurais teve início em 1980 no município de Itaqui, em decorrência de parcerias firmadas entre produtores, EMATER e Secretaria da Agricultura do Município, buscando sanar demandas para o escoamento da produção dos agricultores familiares, gerando renda aos mesmos; estas feiras eram realizadas em pontos distribuídos pela cidade, onde de duas a três famílias comercializavam quinzenalmente. Porém, em 2017 houve uma modernização na estrutura da feira, assim como na apresentação dos produtos, através de uma proposta advinda da UNIPAMPA-Campus Itaqui, criando-se um novo espaço sábado pela manhã em local de grande fluxo de pessoas, com frequência mensal. O objetivo deste trabalho é refletir sobre as ações do Programa Agricultuar, o qual busca apoiar à realização da feira via divulgação, via qualificação dos produtos relacionados ao marketing e dimensão sanitária. A abordagem enfatiza a extensão universitária como processo de interação junto ao espaço social constituído pela feira. As ações da equipe deste programa tem agregado docentes e discentes da universidade, os quais junto as demais entidades coletam informações sobre os consumidores, visando compreender os aspectos que motivam seus hábitos de consumo e constituem os laços de confiança que os fazem valorizar o espaço. O programa está sendo desenvolvido desde 2016 e tem objetivo de formulação de ações estratégicas que possibilitem o desenvolvimento da agricultura familiar no município de Itaqui, contando com a participação de alunos da Graduação dos cursos de Agronomia, Nutrição, Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia. O modo de operar consiste em conhecer as demandas, a partir da análise das condições apresentadas pelo espaço feira, pelos produtos ofertados e pelas famílias agricultoras; a partir daí são formuladas ações como minicursos, palestras, oficinas, estratégias de marketing, em parceria com técnicos da Emater e Secretaria da Agricultura do município e em consulta aos agricultores. Percebe-se que a feira não é apenas um espaço de aquisição de produtos, mas um processo de troca de conhecimento entre feirantes e consumidores, de ambos com os profissionais de ATER, bem como destes segmentos e a comunidade acadêmica; assim, circula-se os saberes ditos tradicionais e científicos, construindo-se uma relação de aprendizagem coletiva. Este processo educativo tem contribuído para a mudança de comportamento de agricultores, de consumidores e dos profissionais envolvidos. Para os discentes, este programa tem promovido possibilidades de qualificação desses futuros profissionais, desenvolvendo habilidade em extensão e aperfeiçoando seu conhecimento da realidade da agricultura familiar. Em relação aos agricultores observa-se a participação nas ações propostas e o entusiasmo em adotar as estratégias inovadoras e no acesso às políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
GRACIÉLA AGUILAR MEUS, A.; DA SILVA MESSA, E.; ANDREW VIEIRA DE MATTOS, J.; PEREIRA SOUZA, G.; ROBERTO CARDOSO DA SILVEIRA, P. CONSTRUINDO SABERES E COMPARTILHANDO VIVÊNCIAS: AÇÃO DA UNIVERSIDADE JUNTO AOS AGRICULTORES FAMILIARES. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.