BROMATOLOGIA COMO FORMA DE INCENTIVO À PISCICULTURA NA FRONTEIRA OESTE DO RIO GRANDE DO SUL

  • Maria Regina Zárate
  • Cristiano Miguel Stefanello
Rótulo Piscicultura, corte, análises, bromatológicas, peixes, alimentos

Resumo

A fronteira Oeste do Rio Grande do Sul tem sua economia baseada na produção agropecuária. Porém, a disponibilidade de águas, alimentos e mão de obra possibilita o desenvolvimento da piscicultura na região. Tendo em vista, a abundância de subprodutos oriundos da agricultura que podem ser utilizados destinados a alimentação de peixes, havendo necessidade de conhecer as suas composições bromatológicas e nutricionais. Inserir a piscicultura na região através da realização de análises bromatológicas de alimentos que podem ser utilizados para criação de peixes e divulgar para os produtores rurais o potencial da região para a atividade, promovendo a difusão tecnológica e conhecimento por meio do fornecimento de orientações técnicas aproximando a UNIPAMPA da comunidade regional, cumprindo sua função social de trazer desenvolvimento e qualidade de vida nas regiões de sua atuação. As atividades do trabalho foram realizadas por alunos do curso de Tecnologia em Aquicultura e Medicina Veterinária, Campus Uruguaiana. A divulgação se deu através de participações em eventos na cidade de Uruguaiana como, a Noite da Pecuária realizada mensalmente pelo CPTEC junto com o Sindicato Rural de Uruguaiana; 1.2 "Aquicultura na Praça e Conhecendo a UNIPAMPA. Nestes eventos foi utilizado a exposição de banners juntamente a distribuição de folders contendo informações das análises bromatológicas e o potencial da piscicultura na região. Também foi divulgado o projeto através de mídias digitais e em parceria com intencionistas da EMATER. Os piscicultores interessados em participar do projeto foram encaminhados ao Laboratório de Nutrição Animal. As análises realizadas foram: Matéria seca, matéria mineral, nitrogênio total, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido e extrato etéreo. Após foi gerado um laudo com orientações sobre e características do alimento e seus potenciais de utilização. Até o momento foram analisadas vintes amostras de alimentos ligados a outros projetos de extensão da UNIPAMPA e também, oito produtores rurais se cadastraram para participar do estudo, porém por estarmos em uma região de clima frio, a produção de peixe tem início nos meses de outubro, pois peixes são animais pecilotérmicos, e devido a estação fria ocorreu a redução do nível de sua atividade corporal com metabolismo diminuído. Nesse período de frio foi trabalhado na divulgação, e no segundo momento ocorrerá a realização das análises bromatológicas. Durante esse primeiro momento notou-se a importância de sua divulgação, pois, através dela ocorreu a aproximação da UNIPAMPA com a comunidade, produtores tendo um contato maior com os acadêmicos com o intuito de trocar conhecimentos e experiências. Assim, mostrando aos alunos as necessidades do mercado e além disso, foi atendida a demanda das análises bromatológicas de alimentos para a piscicultura de corte com êxito, estimulando o desenvolvimento dessa atividade econômica na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
REGINA ZÁRATE, M.; MIGUEL STEFANELLO, C. BROMATOLOGIA COMO FORMA DE INCENTIVO À PISCICULTURA NA FRONTEIRA OESTE DO RIO GRANDE DO SUL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.