INFLUÊNCIA DA ATIVIDADE EXTENSIONISTA: ÍNDICE DE NATALIDADE E MORTALIDADE EM OVINOS NA REGIÃO DA CAMPANHA.

  • Leonardo Macedo Viega
  • Gabrielly Carpes Ruschel Krüger
  • Theline Ribeiro Gonçalves
  • Camila Epifanio Chilindro
  • Diúlia Zolin Galvani
  • Gladis Ferreira Correa
Rótulo Assistência, técnica, Ovinocultura, Gestação, Nascimento

Resumo

Um dos grandes problemas observados na ovinocultura, e que impacta fortemente na produção e rentabilidade da propriedade, são as perdas neonatais. Assim, o manejo pré-natal adequado, com identificação das fêmeas gestantes, separação de grupos com menor peso corporal e manejo intensivo com fêmeas de gestação gemelar, proporciona melhores índices de natalidade e desmame. Outro fator de suma importância refere-se à mortalidade de cordeiros. No Rio Grande do Sul, de 15% a 40% dos cordeiros morrem logo após o nascimento, sendo a principal causa à fome e o frio, no qual é influenciado diretamente à baixa nutrição da ovelha gestante - feto. Desta forma, este trabalho busca desenvolver ações em propriedades rurais de agricultura familiar, através de manejo no período pré-natal, buscando melhorar as condições nutricionais das fêmeas gestantes e, consequentemente, nos índices de natalidade, assim como, a diminuição da mortalidade dos cordeiros. A ação foi realizada na propriedade rural Parcerias Fontouras, que possui 300 hectares e está localizada em Dom Pedrito/RS. Que conta com a criação de ovinos da raça Corriedale e um rebanho de 160 animais. Avaliou-se o Escore de Condição Corporal (ECC), dentição, níveis de anemia do rebanho através do método Famacha® (para identificar os animais afetados por verminose) e ultrassonografia inguinal no diagnóstico de gestação, para identificar as fêmeas prenhes e destiná-las a melhores áreas de pasto. O apoio técnico utilizou planilhas eletrônicas para a escrituração zootécnica da propriedade, onde o rebanho foi separado por matrizes, número de identificação, divisão de lotes de trabalho através de tinta para, tipo de partos, sexo dos cordeiros, se apresentaram enfermidade após o nascimento e se houve mortalidade, seja perinatal ou após os 10 dias de vida. O controle de dados para diagnosticar a gestação proporciona ao produtor auxílio na tomada de decisão, onde irá melhorar seus índices produtivos, pois facilitará decisões futuras, como o manejo intensivo das matrizes gestantes e da pastagem que irá recebê-las, assim como seleção e possível descarte de ovelhas vazias. Durante o acompanhamento das parições, observaram-se o nascimento de 168 cordeiros. Destes, 141 permaneceram vivos, 16% tiveram mortalidade neonatal e 3% por enterotoxemia, por consumir a ração das ovelhas. O principal fator da mortalidade neonatal ocorreu por alterações climáticas, como a chuva e o frio excessivo, uma vez que estes animais nasceram durante o inverno. A assistência técnica no período pré-natal facilita o manejo no período gestacional e proporciona o produtor a aumentar e aperfeiçoar a produção na propriedade atendida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
MACEDO VIEGA, L.; CARPES RUSCHEL KRÜGER, G.; RIBEIRO GONÇALVES, T.; EPIFANIO CHILINDRO, C.; ZOLIN GALVANI, D.; FERREIRA CORREA, G. INFLUÊNCIA DA ATIVIDADE EXTENSIONISTA: ÍNDICE DE NATALIDADE E MORTALIDADE EM OVINOS NA REGIÃO DA CAMPANHA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.