DIAGNÓSTICO DAS NECESSIDADES DOS PESCADORES ARTESANAIS EM RELAÇÃO AO PROCESSAMENTO E COMERCIALIZAÇÃO DO PESCADO

  • Cinthia Bonilha Pires
  • Guilherme Masteloto da Rosa
  • Giovani Taffarel Bergamin
  • Catia Aline Veiverberg
Rótulo Pesca, artesanal, peixe, consumo

Resumo

A pesca é uma das atividades humanas mais importantes em alguns territórios, entre eles a região da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Equivale-se como fonte de alimento, comércio, renda e lazer para grande parte de sua população, em destaque as que residem nas margens dos rios de grande e médio porte. Este trabalho faz parte de projeto de desenvolvimento tecnológico financiado pelo CNPq, envolvendo pescadores de Uruguaiana, Itaqui e Barra do Quaraí, e tem por objetivo realizar o diagnóstico das principais necessidades dos pescadores em relação ao processamento e comercialização do pescado. No dia 19 de junho de 2019, os pescadores de Barra do Quaraí foram convidados a participar de uma reunião para exposição da proposta de agregar valor ao pescado da região, coleta de dados e análises dos problemas enfrentados pela comunidade em relação ao processamento do peixe. A prática com os pescadores se deu em base do Diagnóstico Rápido Participativo utilizado pela Embrapa. A técnica constituiu em apresentar aos pescadores 13 questões, relacionadas a equipamentos utilizados na pesca, onde ocorre a venda do pescado, armazenamento, principais espécies capturadas e comercializadas ao longo do ano. As perguntas foram feitas por um moderador e respondidas por todos os seis pescadores presentes. No modelo de diagnóstico rápido participativo, o moderador é o equilíbrio da discussão, o acelerador para as diversas ideias que aparecerão ao longo do processo, contando com o auxílio do facilitador que ajuda na condução da técnica e auxilia no registro de respostas, e o registrador que tem responsabilidade sob os registros da reunião. O resultado aponta que a pesca é a única fonte de renda das famílias. A maioria da venda ocorre em casa, com pouco beneficiamento (somente evisceração) e a forma de apresentação é em sacos plásticos. Muitos pescadores vendem também para atravessadores de outros municípios do estado e fora dele, muitas vezes por valor abaixo do mercado, com a justificativa de venda garantida. O principal problema relatado sobre a comercialização do produto foi o transporte, onde enfrentam dificuldades por conta do alto valor do combustível, além da dificuldade em vender após a semana santa e a alta procura por espécies atualmente proibidas pela legislação, como dourado e surubim Ao expor a proposta do projeto, os pescadores demonstraram interesse em agregar valor a espécies que são pouco aceitas pelo mercado consumidor, como grumatã, palometa, lambari e piavas pequenas, com a justificativa de que estas espécies ocorrem ao longo de todo o ano. Assim, a universidade tem papel fundamental nesta problemática, pois ao identificar o principal problema, irá testar cortes, embalagens e outros produtos derivados do pescado para auxiliar comunidades a agregarem maior valor para as espécies anteriormente citadas, fazendo com que estas espécies caiam no gosto do consumidor e estimulando cada vez mais o consumo de peixe na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
BONILHA PIRES, C.; MASTELOTO DA ROSA, G.; TAFFAREL BERGAMIN, G.; ALINE VEIVERBERG, C. DIAGNÓSTICO DAS NECESSIDADES DOS PESCADORES ARTESANAIS EM RELAÇÃO AO PROCESSAMENTO E COMERCIALIZAÇÃO DO PESCADO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.