BASQUETE COMO PROMOTOR DA QUALIDADE DE VIDA DE ESCOLARES

  • Erik Alderete
  • Marco Aurélio Canaparro Teixeira
  • Marcio Alessandro Cossio Baez
Rótulo Basquetebol, Qualidade, Vida, Escolares

Resumo

O ensino do jogo de basquetebol tem como objetivo desenvolver competências no domínio social (aprender a apreciar o jogo em conjunto com a cooperação, respeito pelos colegas, adversários e regras), estratégico e cognitivo tático (envolvendo capacidades de decisão e resolução de problemas com eficiência nas mais adequadas situações de jogo) e técnico. Esse projeto de extensão tem como cenário uma escola de periferia e com grande risco social para seus estudantes com isso o objetivo do mesmo é contribuir para uma melhor qualidade de vida dos participantes através do esporte (basquetebol). As aulas são realizadas na Escola Estadual de Ensino Fundamental República do Uruguai, na cidade de Uruguaiana-RS, duas vezes na semana as terças e quintas, uma turma de manhã, duas a tarde, com mais de 30 (trinta) crianças participantes, as idades variam dos nove aos treze anos. São trabalhadas as questões dos fundamentos, regras e noções básicas de cooperação e participação de atividades em grupo, as atividades realizadas baseiam-se na faixa etária de cada turma, trabalha-se fundamentos básicos como, posicionamento em quadra, manejo da bola, jeito do arremesso e quique de bola, além de brincadeiras relacionadas ao basquete. Durante as primeiras aulas foram explicadas as funcionalidades do basquete na integração social e desenvolvimento motor, posição do corpo no ato do arremesso, posicionamento das mãos na bola, técnicas simples para melhor desempenho, também foi feito o reconhecimento do material e suas funções. Além de bolas são usados cones para treinamentos mais específicos de coordenação e movimentação, como movimentação entre os cones com e sem a bola, passar entre os cones quicando a bola com ambas as mãos. Todas estas atividades visam o desenvolvimento do jogo buscando através deste recurso utilizar a criatividade do aluno, de modo a permitir, através dos vários movimentos, a livre expressão da criança. Neste curto período de trabalho desenvolvido na escola, concluímos que o ensino do basquetebol deve estar atrelado à concepção de cultura corporal de movimento; a modalidade não deve ser abordada somente de maneira procedimental (o saber fazer), e o aluno deve ser considerado como sujeito ativo do processo. Através do projeto visualizamos que os educandos não precisam aprender para jogar e sim jogar para aprender, pois desta forma eles estarão inseridos em práticas onde tenham interesses e motivações durante o processo de ensino do basquetebol. Desta forma explorando o jogo poderemos oferecer dentro das atividades propostas uma gama de situações, possibilitando que eles obtenham um crescimento gradativo, além de manter o interesse no processo de ensino do basquetebol e consequente melhoria nos níveis de qualidade de vida dos participantes do projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
ALDERETE, E.; AURÉLIO CANAPARRO TEIXEIRA, M.; ALESSANDRO COSSIO BAEZ, M. BASQUETE COMO PROMOTOR DA QUALIDADE DE VIDA DE ESCOLARES. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.