PERFIL DE MULHERES IDOSAS PARTICIPANTES DE GRUPOS DA TERCEIRA IDADE EM SANTA MARIA, RS.

  • Cora da Gama Souza
  • Deise Iop Tavares
  • Hedioneia Maria Foletto Pivetta
Rótulo Envelhecimento, idosas, saúde, pública

Resumo

INTRODUÇÃO A população com 60 anos ou mais está aumentando rapidamente. Segundo as Nações Unidas, a taxa de crescimento de idosos é cerca de 3% ao ano, o que levará ao triplo do seu número atual, alcançando dois bilhões de pessoas em 2050. Neste cálculo, estima-se que as mulheres brasileiras vivam, aproximadamente, sete anos a mais do que os homens. No município de Santa Maria (RS), mulheres idosas representam 59% do total de idosos², comprovando assim a necessidade de pesquisas voltadas à população idosa feminina e o reconhecimento do seu perfil social, a fim de que haja melhor compreensão dos determinantes sociais envolvendo o processo saúde-doença. A partir disso acredita-se ser possível a promoção de ações específicas e melhorias da saúde e qualidade de vida. OBJETIVO Analisar as características sociodemográficas de mulheres idosas pertencentes a grupos de terceira idade, em diferentes comunidades da cidade de Santa Maria (RS), como: idade, estado civil, escolaridade e se frequentam médico ginecologista. MATERIAL E MÉTODOS A pesquisa integra o projeto Relação entre dor no assoalho pélvico, função sexual e autoimagem genital de idosas com e sem fibromialgia, de caráter quantitativo. Foram aplicados, reservadamente, questionários em ficha sociodemográfica adaptada e MEEM. Constituíram-se critérios de inclusão: não apresentar déficit cognitivo, pertencer a um grupo comunitário de terceira idade, ter 60 anos ou mais, ser do sexo feminino e sexualmente ativa. RESULTADOS A pesquisa contou com 100 mulheres idosas com idade média de 69,71 ± 6,93 anos. Destas, 47% são viúvas, 38% casadas, 13% divorciadas e 2% solteiras. Quanto à escolaridade, 35% têm Ensino Fundamental incompleto, 30% completaram o Ensino Médio, 17% concluíram o Ensino Fundamental, 9% têm Ensino Médio incompleto, 8% possuem Ensino Superior completo e 1% realizou Pós Graduação. Quanto à consulta ginecológica, 85% das idosas frequentam o médico e 15% não. CONCLUSÃO Os resultados acenam para a necessidade de inovação e atualização constante dos profissionais que conduzem grupos de terceira idade femininos, visto que a média de idade configura mulheres ativas socialmente. O incentivo a atividades e orientações sobre sexualidade devem ser preservados, pois se observou uma grande parcela de idosas casadas e que talvez, por isso, não frequente o médico ginecologista. O fato de haver um alto índice de idosas com baixo nível de escolaridade ressalta a importância de adequação das políticas públicas existentes, para que haja melhor adesão e compreensão das dificuldades presentes no cotidiano da mulher de classes populares. REFERÊNCIAS Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE. Projeção da População do Brasil por sexo e idade: 1980-2050: revisão 2008. http://ibge.gov.br; Nações Unidas. Pessoas Idosas. https://nacoesunidas.org/acao/pessoas-idosas/

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
DA GAMA SOUZA, C.; IOP TAVARES, D.; MARIA FOLETTO PIVETTA, H. PERFIL DE MULHERES IDOSAS PARTICIPANTES DE GRUPOS DA TERCEIRA IDADE EM SANTA MARIA, RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.