MINI CHEFS: ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Sabrina Till da Rosa
  • Bruna Oliveira Ungaratti
  • Márcio Fidelix Ferrari
  • Kellen Schaaff Souto
  • Tais Graeff
  • Vanessa Ramos Kirsten
Rótulo Educação, alimentar, nutricional, Nutrição, criança, Alimentação, saudável

Resumo

A infância é caracterizada por transformações de caráter físico, cognitivo, social e emocional. A alimentação adequada e saudável nesse período é essencial para a promoção de bons hábitos alimentares, prevenindo problemas de saúde relacionados à alimentação. Segundo a Organização das Nações Unidas, o sobrepeso e a obesidade infantil vêm crescendo nos últimos anos no Brasil. O aumento se deve ao padrão alimentar adotado, baseado em alimentos ricos em açúcar e gorduras e baixo teor de vitaminas e minerais associado com o sedentarismo. O trabalho tem objetivo de promover uma ação de educação alimentar e nutricional direcionada a responsáveis e alunos de uma escola de Educação Infantil do noroeste gaúcho, frente às altas taxas de sobrepeso encontradas. Os escolares entre 0 a 4 anos, no mês de Agosto, foram avaliados por meio da medição do comprimento/estatura e da pesagem em balança antropométrica. Os dados foram lançados no programa Anthro® e classificados pelas curvas de crescimento da Organização Mundial da Saúde. Os lanches coletivos da escola, enviados semanalmente pelos pais e compartilhados entre os alunos em sala de aula, foram observados em diversos dias. A atividade de educação nutricional consistiu na entrega aos pais de um livro de receitas utilizando ingredientes de fácil consumo e de alimentos homólogos a produtos industrializados consumidos por crianças, informando também sobre a importância da alimentação adequada e saudável e a relevância do sobrepeso na infância. Além disso, foi divulgado o índice de sobrepeso médio na creche. Solicitou-se aos responsáveis que escolhessem uma receita para preparar com seus filhos e que fosse tirada uma fotografia da preparação da receita a fim de criar um mural de fotos para ser fixado na escola. Das 89 crianças avaliadas, 28% apresentaram risco de sobrepeso, 13% sobrepeso e 5% obesidade. Observando os lanches coletivos, notou-se a presença de frituras, refrigerantes e alimentos ricos em açúcar, mesmo após solicitação da direção de que tais alimentos não fossem levados. Após o envio do livro não foram observadas mudanças nos lanches coletivos. A participação dos pais na atividade foi baixa, tendo havido o envolvimento de 22 dos 89 alunos. Um banner com as fotos das preparações foi exposto na escola e este despertou a atenção dos alunos e seus responsáveis. A atividade aplicada isoladamente não teve o potencial de modificar os hábitos alimentares dos núcleos familiares. Porém a satisfação relatada pelos participantes da atividade demonstra que a mesma pode ser utilizada de forma articulada a outras ações de educação alimentar e nutricional. Conclui-se que as taxas de sobrepeso/obesidade divulgadas foram altas, porém não suficientes para sensibilizar os responsáveis a participarem da atividade e optarem por lanches coletivos saudáveis. É importante que as ações de educação alimentar e nutricional sejam continuadas, a fim de que práticas alimentares mais saudáveis sejam gradativamente adotadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
TILL DA ROSA, S.; OLIVEIRA UNGARATTI, B.; FIDELIX FERRARI, M.; SCHAAFF SOUTO, K.; GRAEFF, T.; RAMOS KIRSTEN, V. MINI CHEFS: ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.