PREVENÇÃO DE AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM USUÁRIOS DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS: RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Bruna Meyer Perroni
  • Gustavo Cassol
  • Letícia Gomes Ferreira
  • Matheus Baneiro Cardoso
  • Eduardo Nogueira Peres
  • Vanessa Alvez Mora Da Silva
Rótulo Sinais, vitais, Doenças, não, transmissíveis, Usuários, drogas, Centros, tratamento, abuso, substâncias, Necessidades, demandas, serviços, saúde

Resumo

Introdução: No Sistema Único de Saúde desde os anos 2000 há proposições de mudanças na atenção a pessoas usuárias de álcool e drogas, muitas vezes, sendo desconsideradas suas demandas e necessidades (MACHADO, MODENA, LUZ, 2019). Sendo assim, viu-se a necessidade de realizar monitoramento dos sinais vitais dos usuários que frequentam o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD), a fim de ofertar o cuidado integral, não somente restrito à esfera psíquica, mas também à orgânica, pois, as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) têm aumentado nos últimos anos. Viu-se a importância da prevenção de agravos não transmissíveis nesta população, pois, um dos fatores de risco para desenvolvimento destas doenças é o uso nocivo do álcool (BRASIL, 2011). Objetivo: Identificar precocemente possíveis DCNT em usuários de álcool e outras drogas atendidos em um CAPS AD da fronteira oeste do estado do Rio Grande do Sul. Material e métodos: As aferições de pressão arterial; frequência cardíaca; saturação de oxigênio; e, glicose capilar em jejum foram realizadas por dois residentes de Saúde Mental Coletiva, duas vezes por semana, nos turnos da manhã e tarde, durante o período de março a setembro de 2019, foram ofertadas aos usuários que frequentavam o CAPS AD. Os valores eram anotados em uma tabela, e transcritos para os prontuários dos usuários. Os usuários que apresentaram alterações significativas em algum dos sinais vitais supracitados eram encaminhados para outros serviços da rede de saúde do município. Resultados e discussão: Foi possível verificar que alguns usuários apresentaram níveis de pressão arterial e glicemia capilar em jejum acima do ideal. Em conversa com os usuários foi identificado que alguns tinham conhecimento prévio da sua patologia (hipertensão arterial sistêmica e /ou diabetes mellitus), porém, não utilizavam medicação atualmente ou não realizavam o tratamento da forma correta. Foi realizado um trabalho multiprofissional de educação em saúde, para conscientização dos mesmos da importância do acompanhamento/tratamento de DCNT. Os usuários foram questionados sobre hábitos de vida, alimentação, realização de atividade física, história atual e pregressa de saúde, histórico familiar para identificar possíveis comorbidades e posteriormente foram encaminhados para estratégia de saúde da família do seu território a fim de iniciar tratamento medicamentoso ou rever medicação em uso; para nutricionista; e, cardiologista conforme sua necessidade. Posteriormente, foi verificada uma boa adesão ao tratamento medicamentoso e mudança em hábitos de vida dos usuários que foram encaminhados a outros serviços/profissionais. Conclusão: Foi possível perceber a importância do olhar integral a saúde, pois, suas necessidades e demandas foram ouvidas, receberam atenção tanto em relação a comprometimentos psíquicos quanto orgânicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
MEYER PERRONI, B.; CASSOL, G.; GOMES FERREIRA, L.; BANEIRO CARDOSO, M.; NOGUEIRA PERES, E.; ALVEZ MORA DA SILVA, V. PREVENÇÃO DE AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM USUÁRIOS DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.