CONSUMO ALIMENTAR DE ADOLESCENTES ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLINICA

  • Rafaela Correa Soares
  • Shanda de Freitas Coutos
  • Juliana Lunkes Amaral
  • Carla Pohn Sehn
  • Ana Letícia Vargas Barcelos
  • Karina Sanches Machado Dalmeida
Rótulo Obesidade, Ultraprocessados, Doenças, Crônicas, não, Transmissíveis

Resumo

Introdução: Alimentos ultraprocessados são pobres nutricionalmente e ricos em gorduras ou açúcares; com isso, tendem a ser consumidos em excesso e a substituir alimentos in natura ou minimamente processados. No entanto, o consumo excessivo desses alimentos está associado ao desenvolvimento de obesidade e doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). Neste sentido, o interesse no estímulo a hábitos alimentares saudáveis, visando à prevenção da obesidade na adolescência se justifica pelo aumento de sua prevalência com permanência na fase adulta e sua associação com as DCNT. Sendo assim, o Projeto de Extensão Ambulatório de Nutrição do curso de Nutrição Campus Itaqui proporciona atendimento gratuito à população, visando a promoção de hábitos saudáveis. Objetivo: Avaliar o consumo alimentar de adolescentes atendidos no ambulatório de Nutrição, e descrever as principais ações frente a esse público atendido. Material e métodos: A amostra foi constituída por usuários com idade entre 10 e 19 anos. Os dados foram coletados por meio da avaliação do consumo habitual e análise do recordatório alimentar de 24 horas. A avaliação das metas dietéticas propostas para os adolescentes foram relatadas de acordo com aquelas sugeridas pelo acadêmico de nutrição juntamente com um docente, visando à melhoria de tais hábitos alimentares. Resultados e discussão: Foram coletados dados de 36 pacientes em acompanhamento nutricional de 2014 a 2019. Destes, 66,7% eram do sexo feminino, com média de idade de 12,8±2,5 anos. Em relação ao consumo alimentar, 50% dos adolescentes não ingere nenhuma vez ao dia salada e legumes e 61,1% não ingerem nenhuma vez no dia frutas. Sobre a ingestão de bolachas recheadas e bebidas adoçadas, observou-se consumo de bolachas recheadas uma vez ao dia por 16,7% dos adolescestes e 30,6% consomem bebidas adoçadas três vezes ao dia. Açucares e doces pelo menos uma vez ao dia foram consumidos por 88,6% dos adolescentes e apenas 11,4% não consomem nenhuma vez ao dia. Por fim, o consumo de frituras foi de 71,4% uma vez ao dia e 28,6% não consomem nenhuma vez ao dia. Com base no levantamento desses dados, o projeto de extensão ambulatório de nutrição desenvolve estratégias de reeducação alimentar e acompanhamento individualizado, com entrega de plano alimentar, orientações, exemplos de receitas saudáveis e opções de lanches, que ajudam no processo de modificação dos hábitos dos adolescentes. Conclusão: Observou-se uma baixa ingestão de frutas e legumes e um alto consumo de bebidas adoçadas, frituras, açucares e doces. Nesse sentido, as ações realizadas no ambulatório de nutrição auxiliam na mudança da percepção de alimentos ultraprocessados e proporcionam mudanças nos hábitos dos jovens e melhora da qualidade de vida. Palavras-chave: Obesidade. Ultraprocessados. Doenças Crônicas não Transmissíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
CORREA SOARES, R.; DE FREITAS COUTOS, S.; LUNKES AMARAL, J.; POHN SEHN, C.; LETÍCIA VARGAS BARCELOS, A.; SANCHES MACHADO DALMEIDA, K. CONSUMO ALIMENTAR DE ADOLESCENTES ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLINICA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.