AÇÕES DE PREVENÇÃO DE AGRAVOS E PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS:

  • Paulo Josué da Silva Jaques
  • Gabriel Krieser Biolowons
  • Rodrigo Andrade Batista
  • Débora Nunes Mário
  • Joao Felipe Peres Rezer
  • Luciana de Souza Nunes
Rótulo Saúde, Adolescente, Educação, Relações, Comunidade-Instituição, Doenças, Sexualmente, Transmissíveis

Resumo

Introdução: O Projeto Ações de Prevenção de Agravos e Promoção da Saúde nas Escolas: da higiene básica ao controle de ISTs é um projeto de extensão desenvolvido por docentes e discentes do Curso de Medicina da Unipampa em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Uruguaiana. A OMS admite como iniciativas de promoção da saúde, os programas planejados com base nos princípios: concepção holística, intersetorialidade, equidade, ações multi-estratégicas, empoderamento, participação social; sendo esses dois últimos o cerne da educação em saúde. Objetivos: O projeto visa desenvolver mecanismos de promoção de saúde, educação e prevenção em doenças infecto parasitárias, e infecções sexualmente transmissíveis para os anos finais do ensino fundamental das escolas contempladas. A abordagem está pautada, predominantemente, em atividades lúdicas ou que utilizem metodologias ativas de ensino-aprendizagem. Nesse sentido, objetiva-se contribuir com uma maior assistência técnico-científica para os professores da rede pública de educação em áreas de maior vulnerabilidade social. Métodos: em consonância com a proposta de ensino do curso de medicina da Unipampa, procuramos desenvolver atividades que suscitem a ampla participação dos atores na construção e aplicação do conhecimento, sejam eles alunos, cuidadores ou professores. Optou-se por seguir essa abordagem, uma vez que as metodologias ativas se mostraram como valioso recurso na transformação de hábitos e a atitudes entre os adolescentes. Resultados: Até o momento duas ações foram realizadas com o corpo docente da Escola Estadual João Baptista Luzardo. A primeira dinâmica buscou levantar hipóteses para explicar as principais problemáticas em saúde cotidianas da vivência escolar. Ainda nessa prática se utilizou da metodologia "world Café" para fomentar a discussão entre os participantes; todo material produzido foi recolhido e posteriormente analisado. Após o estudo do material confeccionado na atividade, os integrantes do projeto, deliberaram que a abordagem de infecções sexualmente transmissíveis se fazia mais pertinente e imediata. Pensando em uma atividade mais interativa, foi adotada um questionário do gênero "verdade ou mito". Essa atividade foi de extrema relevância, pois serviu para consolidar saberes, aparar arestas e desfazer falsas informações sobre as ISTs mais prevalentes. Conclusões: A medida que as ações forem realizadas espera-se: melhoria na qualidade de vida da comunidade escolar e familiar da região, legitimar os membros do projeto e comunidade escolar envolvida como agentes ativos das ações de extensão, além de ratificar o poder de transformação social executado pela integração da academia com os diversos agentes públicos do município.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
JOSUÉ DA SILVA JAQUES, P.; KRIESER BIOLOWONS, G.; ANDRADE BATISTA, R.; NUNES MÁRIO, D.; FELIPE PERES REZER, J.; DE SOUZA NUNES, L. AÇÕES DE PREVENÇÃO DE AGRAVOS E PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS:. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.