QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES ONCOLÓGICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Laísa Escobar Sitja
  • Laísa Escobar Sitja
  • Jarbas da Silva Ziani
  • Ane Gabrielle Muniz
  • Rodrigo de Souza Balk
Rótulo Palavras, chaves, Equipe, Multidisciplinar, Paciente, Oncológico, Casa, Apoio

Resumo

O diagnóstico de neoplasias malignas usualmente acarreta em um desgaste emocional para quem o recebe, vinculado a estigmas que permeiam a doença, assim como, as consequências que o tratamento pode vir a provocar no indivíduo. Nesta perspectiva, surge a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan), que atender pessoas que passam por este momento de fragilidade emocional. Assim, objetivou-se identificar os benefícios da atuação de uma equipe multidisciplinar na qualidade de vida de pessoas com o diagnóstico de câncer. Trata-se de um relato de experiência desenvolvido pelo PET Práticas Integradas em Saúde Coletiva (PISC) da Universidade Federal do Pampa. O local de vivência prática foi a Aapecan, sediada em Uruguaiana/RS. A mesma possui 179 usuários ativos, sendo 48 do município de Uruguaiana e 131 de outras regiões com idades entre 29 e 70 anos. As atividades se desenvolvem desde agosto de 2018 até o presente momento com periodicidade semanal através da supervisão de uma assistente social e psicóloga onde são realizadas oficinas e rodas de conversa sobre os aspectos psicossocial dos pacientes. Os bolsistas supervisionados pelo tutor proporcionam atividades que compreendem além de participação nos grupos de apoio, atividades dinâmicas com destaque para as oficinas de Pilates solo e Dança. Evidenciou-se através das vivências que os pacientes apresentavam inicialmente um sentimento de solidão e insegurança. Em contra partida, foi notório que quando os indivíduos sentem-se acolhidos pelos profissionais da Aapecan e pelo grupo PET PISC, eles desligam-se dos seus anseios que tanto lhes afligiam e buscam manter uma perspectiva positiva de sua doença. É perceptível que a assistência integral nesse período permite que eles venham a ter uma melhor qualidade de vida, pois estes fatores influenciam diretamente no bem-estar físico e psicossocial. Ademais, através da atividade de Pilates evidenciou-se a importância para a reabilitação desses pacientes, uma vez que proporcionou a eles uma melhora na saúde mental e física. Não obstante, a oficina de Dança proporcionou melhora da autoestima, autodeterminação e sensação de bem estar. Por conseguinte, transforma-se imprescindível ver o paciente oncológico como um ser holístico, compreendendo todas as necessidades que o mesmo precisa para o tratamento de forma ativa e saudável para minimizar os agravos psicológicos que eles possam vir a enfrentar. Pode-se salientar também a importância das casas de apoios aos pacientes no processo de tratamento dos mesmos, pois muitos veem na casa um lar temporário que lhes serve de amparo no enfrentamento dessa fase de vida que exige tanto dos pacientes e seus familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
ESCOBAR SITJA, L.; ESCOBAR SITJA, L.; DA SILVA ZIANI, J.; GABRIELLE MUNIZ, A.; DE SOUZA BALK, R. QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES ONCOLÓGICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.