MORFOEDUCA – VIVÊNCIAS DE UM GRUPO EXTENSIONISTA RUMO A CURRICULARIZAÇÃO

  • André Luiz Loeser Corazza
  • Israel Cabral Ribeiro Reis
  • Marcelo Leite da Veiga
  • Patrícia Marega
  • Maria Izabel de Ugalde Marques da Rocha
  • Josiane Faganello
Rótulo Morfologia, Política, Saúde, Atividades, Socioeducativas, Neoplasias, Cutâneas

Resumo

Nos últimos anos o Ministério da Educação tem feito esforços para estimular as universidades a implementar dentro de seus currículos, atividades de extensão junto à comunidade. Assim, em dezembro de 2018, foram lançadas as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira, e com elas estabeleceu-se que 10% da carga horária curricular estudantil deverá estar ligada as atividades de extensão. Desde 2009 o grupo de extensão MORFOEDUCA, do Departamento de Morfologia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), tem desenvolvido atividades extensionistas em escolas de Ensino Fundamental e Médio, com o objetivo de alfabetizar cientificamente em ciências morfológicas, visando a prevenção das doenças prevalentes conduzindo à promoção da saúde. Dessa forma o presente trabalho pretendeu apresentar os projetos desenvolvidos pelo MORFOEDUCA desde sua origem, bem como evidenciar os possíveis impactos de suas atividades. Os dados de base utilizados foram os documentos de registro do projeto no Portal de Projetos UFSM e os relatórios escritos pelos discentes e docentes extensionistas após cada ação. Como informações relevantes foram computados o perfil e número de docentes e graduandos participantes do grupo, bem como o de escolas e discentes atendidos. Notou-se uma evolução das atividades do MORDOEDUCA ao longo dos anos, pois o número de projetos de extensão coordenados pelo grupo cresceu de apenas um projeto em 2009, para quatro projetos em 2019. Além disso, o número de docentes, discentes e técnicos administrativos ligados ao grupo cresceu de 02 docentes, 05 discentes e nenhum técnico em 2009, para 09 professores, 33 acadêmicos e 04 técnicos em 2018. Quanto ao impacto das atividades extensionistas do grupo na comunidade, observa-se que o número de escolas atendidas e o número de alunos do ensino básico assistidos aumentou substancialmente, de 2 escolas e 50 alunos em 2009, para um máximo de sete escolas e 340 alunos em um mesmo ano (2017 e 2016 respectivamente). Os dados de 2019, referentes somente ao primeiro semestre do ano, mostram que já foram atendidas seis escolas e 236 alunos. Observa-se que com disseminação das ideias da curricularização da extensão o MORFOEDUCA expandiu bastante suas atividades, aumentando o número de projetos, de docentes, de técnicos administrativos e de acadêmicos participantes. Isto gerou maior impacto social, com mais escolas sendo visitadas e mais alunos sendo alfabetizados cientificamente. Portanto, os esforços das entidades educativas federais em implementar nos currículos das universidades atividades de extensão junto à comunidade têm estimulado o grupo MORFOEDUCA a ampliar sua atuação, o que gera mais ações socioeducativas e contribui mais para a promoção de saúde da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
LUIZ LOESER CORAZZA, A.; CABRAL RIBEIRO REIS, I.; LEITE DA VEIGA, M.; MAREGA, P.; IZABEL DE UGALDE MARQUES DA ROCHA, M.; FAGANELLO, J. MORFOEDUCA – VIVÊNCIAS DE UM GRUPO EXTENSIONISTA RUMO A CURRICULARIZAÇÃO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.