PROJETO ENTRETENIMENTO, CONHECIMENTO CIENTÍFICO E APRENDIZADO NO PARQUE ZAMPERETTI – RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Mateus Martins
  • Vander Stepanchevisky Machado
  • Michel Pimentel Lopes
  • Marciela Bressan Rodrigues Vieira
  • Cisnara Pires Amaral
Rótulo Interdisciplinaridade, Educação, Ambiental, Orientação

Resumo

O presente trabalho faz referência a um projeto interdisciplinar realizado entre os cursos de Ciências Biológicas, Educação Física e a Prefeitura Municipal de Santiago, tem como intuito realizar as analogias entre o conhecimento científico e as interações que se estabelecem no Parque Zamperetti, salientando as diferentes relações entre a fauna e a flora e as diversas possibilidades de aprendizagem. Através de práticas de orientação e arvorismo, os alunos interagem com a natureza, realizam atividade física, relacionam os conhecimentos vistos em sala de aula com a prática, além de trabalharem a Educação Ambiental em espaço não-formal. Relatam Pereira e Armbrust (2010) as rápidas mudanças e transformações da sociedade atual fazem com que os professores de Educação Física que trabalham na escola repensem formas de contextualizar os conteúdos da referida área entre os alunos. Essa atividade tem como público-alvo alunos do ensino fundamental, médio, EJA e Graduação, realizada uma vez por semana, sendo que os acadêmicos de Educação Física realizam uma atividade laboral com o grupo. Cada grupo recebe um mapa de orientação, realizando um percurso identificando diferentes prismas, e suas relações ecológicas. Os discentes fotografam a interação, o número do prisma, além de realizarem uma foto do grupo em cada ponto estabelecido. Ao término do trajeto o grupo se reúne nas mesas do parque, auxiliados pelos acadêmicos de Ciências Biológicas recebem uma pasta com as fotos das interações biológicas e uma folha A4 com todas as fotos existentes na pasta, identificando em cada interação o número do prisma, discutindo aspectos relacionados com as interações vistas. O projeto já recebeu 5 visitas desde sua estreia em agosto, totalizando uma amostra de 170 discentes, para sua avaliação realiza-se um questionário com os seguintes itens: gostou da atividade, a atividade proporciona conhecimentos científicos, o mapa torna acessível a atividade de orientação, as atividades interdisciplinares facilitam o aprendizado, o conteúdo de botânica (plantas) se tornou mais fácil. Após coleta de dados observamos que 100% dos discentes gostaram da atividade, 92,5% salientaram que a atividade proporcionou conhecimentos científicos, 96% apreciaram trabalhar com mapa para facilitar a trajetória, 98% concordaram que as atividades interdisciplinares facilitam o aprendizado e 93.5% observou que o conteúdo de plantas tornou-se mais acessível com a atividade realizada. Nota-se que os discentes primam por atividades realizadas em espaços não-formais, que facilitem a interdisciplinaridade e o intercâmbio entre diferentes disciplinas. Entendemos a importância de proporcionar conhecimento em espaços pouco aproveitados e explorados, como um parque utilizado somente aos finais de semana para passeios em família. As áreas preservadas auxiliam os estudos, tornam o conhecimento diferenciado, proporcionando a relação entre conhecimentos vistos nos livros didáticos com o cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
MARTINS, M.; STEPANCHEVISKY MACHADO, V.; PIMENTEL LOPES, M.; BRESSAN RODRIGUES VIEIRA, M.; PIRES AMARAL, C. PROJETO ENTRETENIMENTO, CONHECIMENTO CIENTÍFICO E APRENDIZADO NO PARQUE ZAMPERETTI – RELATO DE EXPERIÊNCIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.