ASSISTÊNCIA PARASITOLÓGICA PARA PRODUTORES RURAIS DE DOM PEDRITO E REGIÃO

  • Gustavo Freitas Lopes
  • Marcele Ribeiro Corrêa
  • Brenda Luciana Alves da Silva
  • Larissa Picada Brum
  • Lourdes Caruccio Hirschmann
  • Anelise Afonso Martins
Rótulo Campanha, Extensão, rural, Parasitose

Resumo

O parasitismo nos animais influencia no sistema de produção, acarretando vários prejuízos, podendo ocasionar à morte dos animais. A parasitose gastrintestinal é uma das enfermidades mais importantes e pode ser diagnosticada facilmente por meio de exames complementares. Com isso a extensão universitária possui papel importante, contribuindo de maneira efetiva com a sociedade disponibilizando o conhecimento técnico aos produtores. Por tanto, objetivou-se através do projeto de extensão oferecer assistência parasitológica a produtores rurais da Campanha Gaúcha/RS. O projeto é realizado no laboratório de parasitologia da Unipampa, campus Dom Pedrito, disponibilizando exames parasitológicos de quantificação de ovos por grama de fezes (OPG), coprocultura para identificação dos gêneros parasitários, teste de identificação de Fascíola hepática e eficácia de anti-helmínticos, entre outros exames. Os produtores são cadastrados com ficha de identificação, contendo os dados do produtor, propriedade e tipo de criação, na sequência são orientados como coletar, armazenar e enviar as amostras de fezes para análise parasitológica, se o produtor preferir a equipe de execução vai na propriedade, realiza as coletas e orienta sobre o melhor manejo dos animais. De agosto de 2018 até agosto de 2019, foram cadastrados 37 produtores: 22 produtores de ovinos, 8 de bovinos, 6 de equinos e 1 de bubalinos. No total foram recebidas para análises 2816 amostras fecais com maior frequência da espécie ovina 59,09% (1664 amostras), seguida de bubalinos 26,99% (760 amostras), equídeos 7,39% (208 amostras) e bovinos 6,53% (184 amostras). Das amostras avaliadas verificou-se que na espécie equina 90% apresentavam OPG elevado (>300), enquanto nos ovinos 68,83% estavam com o OPG > 500, demonstrando a necessidade de controle dos parasitas, nos bubalinos 11,84% continham OPG alto e nos bovinos 2,96% necessitavam de tratamento. Os parasitas gastrointestinais encontrados em ovinos e bovinos foram Haemonchus spp, Trichostrongylus spp, Cooperia spp e Ostertagia spp, enquanto nos equinos foram Strongylus sp., Ciatostomíneos, Trichostrongylus spp, Parascaris spp, Oxyuris sp e nos bubalinos Toxocara vitulorum, Haemonchus spp e Trichostrongylus spp. A realização dos exames possibilitou a orientação dos produtores, quanto ao tratamento específico dos animais, assim como, possibilitou verificar a eficácia dos anti-helmínticos utilizados, contribuindo dessa forma com o sistema de produção. Verificou-se que houve maior procura por produtores de ovinos, provavelmente, pelas perdas causadas pelas parasitoses nessa espécie animal, fazendo com que os proprietários busquem auxílio para melhor controle. Da mesma forma, observou-se que deve ser aprimorado a divulgação do projeto para criadores das outras espécies, para que todos tenham acesso a extensão universitária que contribui tanto para o aprendizado acadêmico quanto para a comunidade externa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
FREITAS LOPES, G.; RIBEIRO CORRÊA, M.; LUCIANA ALVES DA SILVA, B.; PICADA BRUM, L.; CARUCCIO HIRSCHMANN, L.; AFONSO MARTINS, A. ASSISTÊNCIA PARASITOLÓGICA PARA PRODUTORES RURAIS DE DOM PEDRITO E REGIÃO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.