CONTRIBUIÇÕES DO DESIGN PARA A VALORIZAÇÃO DA IDENTIDADE TERRITORIAL E CULTURAL DE COMUNIDADES QUILOMBOLAS RURAIS

  • Giovanna Deltregia Martinelli
  • Natália Sarzi Ledur
  • Jeniffer Hubner
  • Gabrielle Pinto Borges
  • Carolina Iuva de Mello
Rótulo Design, Identidade, territorial, Comunidades, quilombolas

Resumo

As comunidades quilombolas resistem por séculos em viabilização de sua reprodução econômica, social e cultural, enquanto povos descendentes de escravos. Esses povos enfrentam uma situação de vulnerabilidade social marcada pela sua identidade inferiorizada e de difícil reprodução cultural. Nesse aspecto, no âmbito da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), ressalta-se um projeto de extensão promovido pelo Núcleo de Estudo e Extensão em Desenvolvimento Territorial e Territorialidades (NEDET), com apoio de acadêmicos do curso de Desenho Industrial, que atua na Associação Quilombola Linha Fão (Arroio do Tigre) e na Associação Remanescentes de Quilombo Júlio Borges (Salto do Jacuí), promovendo ações de extensão e pesquisa que envolve o assessoramento, acompanhamento e monitoramento de políticas públicas de desenvolvimento rural e de inclusão produtiva. A noção de cultura é perpassada pela polissemia e em linhas gerais, está em constante mudança sendo considerada um fator de diferenciação. Nesse sentido, pode-se dizer que as comunidades quilombolas acionam a sua cultura em que assume grande riqueza histórica e patrimonial, formada pelo conjunto dos saberes, fazeres, expressões, práticas e produções que remetem à história, memória e identidade. O objetivo do presente trabalho é apresentar os resultados da ação de extensão realizada pelo projeto supracitado, onde se realizou ações de valorização da identidade territorial quilombola com a finalidade de empoderamento, equilibrando ainda a tradição e o patrimônio cultural com a inovação tecnológica considerando um desenvolvimento endógeno. Por meio de uma metodologia participativa, buscou-se a construção coletiva de uma identidade visual e estratégias para que a produção artesanal seja reconhecida como quilombola pelos potenciais consumidores, levando em consideração os conhecimentos, capacidades e necessidades dos grupos sociais envolvidos na ação. Primeiramente foram realizadas oficinas de expressão gráfica em ambas as comunidades visando uma construção colaborativa que incluiu a conscientização da importância da identidade visual e ressaltou elementos que representam a comunidade, citados tanto oralmente quanto graficamente por desenhos dos(as) participantes. Os desenhos e conversas resultantes das oficinas foram trabalhados para a elaboração das identidades visuais, mantendo-se o contato direto com as comunidades durante o processo de criação. Outro resultado dessas ações foi o próprio momento de criação e diálogo proporcionado pela oficina, que proporcionou espaço para reflexão sobre a própria comunidade entre os sujeitos que a compõe. Sendo assim, a dimensão cultural e o conhecimento expressados na criação dos artefatos artesanais foram valorizados, distinguindo e exaltando as comunidades que os produzem e os territórios de origem, garantindo visibilidade da identidade negra e quilombola, o que gera orgulho e reconhecimento dos atores, como sujeitos políticos e ativos na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
DELTREGIA MARTINELLI, G.; SARZI LEDUR, N.; HUBNER, J.; PINTO BORGES, G.; IUVA DE MELLO, C. CONTRIBUIÇÕES DO DESIGN PARA A VALORIZAÇÃO DA IDENTIDADE TERRITORIAL E CULTURAL DE COMUNIDADES QUILOMBOLAS RURAIS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.