PROJETO FUNGA ALÁFIA: SEJA BEM-VINDO (A)!

  • Athemis Nunes da Fonseca
  • Giane Vargas Escobar
Rótulo Universidade, Ações, Afirmativas, Educação, para, as, Relações, Étnico-Raciais

Resumo

O projeto Funga Aláfia: Seja Bem-Vindo (a) é uma iniciativa que busca incluir os ingressantes de ações afirmativas na comunidade acadêmica, através da prerrogativa de que não basta dar acesso, mas é preciso também garantir a permanência, tendo em vista que o ambiente acadêmico é hostil à indivíduos advindos de um histórico social de opressões socioculturais, étnico-raciais e econômicas. A atividade faz parte do calendário acadêmico do campus Jaguarão. Funga Aláfia: Seja Bem-Vindo (a) é um projeto executado pelo NEABI- Mocinha da Unipampa- Campus Jaguarão em parceria com a Galeria Intercultural Magliani (GIM)- Campus Jaguarão, o Grupo de Pesquisa Atinuké, o Ilê Axé Mãe Nice de Xangô, o Núcleo de Estudo das Relações Étnico-Raciais da SMED- São Leopoldo, o Programa Interfaces e a Prefeitura Municipal de São Leopoldo. Ele é dividido em duas fases, sendo a primeira oficina de teatro que culmina em um cortejo e a segunda uma exposição fotográfica. A oficina de teatro é ministrada pela professora e Atinuké Edilaine (Dedy) Ricardo Machado. Cada encontro tem a duração de 3 horas. O primeiro encontro é de apresentação do grupo e técnicas de respiração, a fim de que nos situemos de nossos corpos. No segundo encontro começa o ensaio do cortejo. O último encontro é o ensaio final e concepção de figurino e maquiagem. O cortejo inicia-se na frente da universidade e segue por seus corredores até a GIM. A exposição fotográfica é sempre referente ao projeto anterior. O fotógrafo Carlos Alexandre acompanha todos os dias da oficina e faz os registros fotográficos. A segunda exposição foi feita com os registros fotográficos do primeiro Funga Aláfia: Seja Bem-Vindo (a) (2018). A comunicação do projeto é pensada por membros do NEABI- Mocinha a cada nova edição, ela é feita em cartaz impresso e digital. O projeto teve sua primeira edição em março de 2018, onde participaram da Oficina de teatro cerca de 25 discentes dos cursos de Produção e Política Cultural e História. A oficina de teatro se caracterizou em 3 dias de encontros muito intensos com a professora Dedy Ricardo e o fotógrafo Carlos Alexandre, acompanhados pelos atabaques de Leandro Mateus, Ogã do Ilê Axé Mãe Nice de Xangô. Já a segunda edição do projeto ocorreu em abril de 2019, participaram da oficina de teatro cerca de 15 discentes dos cursos de Produção e Política Cultural, História, Letras e Pedagogia. Estiveram presentes os mesmos atores sociais da primeira edição e o Contra Mestre de capoeira Dinho, do Grupo Ararirê Oxóssi. A oficina nos colocou em contato com questões ancestrais ao propor a junção dos sons do atabaque, as cantigas de matriz africana, movimentos coreográficos em consonância com a natureza que cultuam o sol e a terra, nos trouxe de volta ao plano humano, colocando- nos para ver nossos colegas, ouvir suas vozes, sentir sua respiração, sentir o calor de sua pele. Para aqueles que ingressam, esperança, para os que estão no meio do processo acadêmico, oxigênio para permanecer.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
NUNES DA FONSECA, A.; VARGAS ESCOBAR, G. PROJETO FUNGA ALÁFIA: SEJA BEM-VINDO (A)!. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.