ROCK E SOCIEDADE: APROXIMAÇÕES A PARTIR DE UM PROJETO DE EXTENSÃO EM BAGÉ/RS

  • Matheus Teixeira Azevedo
  • Igor Sousa Santos
  • José Antônio Fontoura da Silva
  • Thiago Alcantara Ballestero de Paiva
  • Julian Silva do Pinho
  • Andre Muller Reck
Rótulo rock, roll, educação, musical, sociologia

Resumo

O Grupo de Estudos e Práticas de Rock tem como proposta a formação de um grupo musical que toma como referência a cultura do rock n roll enquanto movimento social, político e estético, objetivando oferecer recitais didáticos que envolvam o contexto escolar, o cenário musical e espaços comunitários da cidade de Bagé-RS. O rock n roll, percebido a partir de uma abordagem histórico-social (FRIEDLANDER, 2002), se destaca como uma prática cultural que atinge sujeitos de diferentes gerações, espectros e espaços sociais, tornando-se assim um importante agente de socialização e de (re)construção de identidades. A relação entre o rock e a sociedade é singular, de forma que os estudos de sociologia do rock apontam sua relevância como objeto de estudo social, pois tem autonomia enquanto objeto de estudo, com características próprias e tempos próprios (BERAS, 2013, p.1). Assim, mesmo que um fenômeno característico do século passado e marcado por uma trajetória de marginalização e estereotipação, o rock n roll ainda hoje assume papel importante nas relações sociais, seja como prática cultural, econômica ou histórica, a ponto de que para entender a sociedade de meados do século XX até os dias de hoje, é imprescindível compreender o fenômeno do rock and roll (BERAS, 2013, p.1). Do ponto de vista metodológico cumpre observar que os ensaios do grupo levam em conta o conceito de re-arranjo proposto por Penna (2012) como uma estratégia criativa de ressignificação e recriação musical. Dessa forma, ao considerar as vivências musicais no processo, essa proposta observa dois objetivos pedagógicos: desenvolver a atividade criadora e promover uma reapropriação ativa e significativa da vivência cultural. Esses objetivos são compatíveis com as propostas de educação musical que tomam por base a participação ativa do aluno, pela manipulação do material sonoro e atuação criativa (PENNA, 2012, p.174). A intenção, desse modo, não é de reproduzir fielmente as músicas escolhidas, mas de recriá-las num espaço de coletividade e de reconstrução de significados musicais. Nesse sentido a constituição de um grupo que se reporte ao estudo específico do rock n roll, tem como contribuição a possibilidade de ações tanto formativas quanto sociais. No primeiro caso, se remete à formação do professor em música, no sentido de que as experiências musicais com o rock podem ser articuladas nesse processo (RECK; CORREA; PINHO, 2017). No segundo caso, a realização de recitais e apresentações do referido grupo em diferentes espaços sociais podem contribuir na reflexão do papel do rock na contemporaneidade. Assim, tendo em vista a possibilidade de aprofundar a compreensão do rock n roll enquanto fenômeno cultural e social, é que o presente projeto se dispõe, na tentativa de agregar os conhecimentos produzidos pela sociologia do rock e a educação musical, produzindo um terreno fértil para pensar a formação do professor de música e as contribuições do rock enquanto fenômeno da música ocidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
TEIXEIRA AZEVEDO, M.; SOUSA SANTOS, I.; ANTÔNIO FONTOURA DA SILVA, J.; ALCANTARA BALLESTERO DE PAIVA, T.; SILVA DO PINHO, J.; MULLER RECK, A. ROCK E SOCIEDADE: APROXIMAÇÕES A PARTIR DE UM PROJETO DE EXTENSÃO EM BAGÉ/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.