OS BEBÊS NA CRECHE E A EXPLORAÇÃO DE UM TAPETE SENSORIAL

  • Tatiana Rodrigues de Rodrigues
  • Jaqueline Da Silva E Silva
  • Bibiana Leite Fernandes Santos
  • Rachel Freitas Pereira
  • Ana Eliza Machado Lopes
Rótulo Bebês, Educação, Infantil, Percepção, sensorial

Resumo

Resumo: O presente trabalho tem por objetivo relatar as experiências que nos foram proporcionadas através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID, do Subprojeto Pedagogia da UNIPAMPA, intitulado As Múltiplas Linguagens na Educação Infantil. A prática pedagógica foi realizada na EMEI Verdina Raffo localizada no município de Jaguarão/RS em uma turma de Creche I, com 06 crianças, com idades entre 0 a 2 anos. Teve como foco analisar a relação dos bebês com as texturas de um tapete sensorial. A proposta pedagógica foi desenvolvida por três bolsistas, concomitantemente, com a professora titular da escola. A atividade foi planejada pensando primeiramente na faixa etária dos bebês e seguindo o que Base Nacional Comum Curricular da Educação Infantil BNCC (BRASIL, 2017) indica como atividades apropriadas para as crianças de 0 a 2 anos. A intenção da atividade era de que as crianças pudessem explorar os materiais disponibilizados, sentindo as diferentes texturas e através das mesmas desenvolvessem a percepção sensorial. O tapete sensorial possuía variadas texturas, como: plástico, tecidos, balões, lã e E.V.A. As crianças ficaram descalças e caminharam ou engatinharam sobre o tapete, sentindo as variadas texturas. Para fundamentar teoricamente esse trabalho, utilizamos a contribuição dos autores: Craidy (2008), Machado e Pereira (2015), e Barbosa (2013). A partir das intervenções realizadas com as crianças, percebemos que nem todas sentiram-se à vontade para realizar a exploração. No entanto, aquelas que participaram demonstraram interesse, contribuindo no desenvolvimento de sua percepção sensorial. Analisando nossos referenciais teóricos observamos que existe certo desconhecimento das possíveis ações pedagógicas com bebês. De acordo com Barbosa (2010) as pessoas pensam que os bebês têm pouca capacidade de atenção, de envolvimento, de curiosidade e por esse motivo não oferecem propostas de atividades. Ao contrário disso, percebemos que eles ficam intrigados e envolvidos com uma tarefa e podem permanecer assim por muito tempo, sobretudo, quando esta gera curiosidade. Nesse sentido, percebemos como é importante estimular os sentidos desde muito cedo. Segundo Machado e Pereira (2015) o planejamento diário da professora deve incentivar e estimular o corpo, suas sensorialidades e potencialidades, isto é, as múltiplas linguagens, como a exploração de diferentes texturas, e materiais sonoros. Ações de extrema importância para esta faixa- etária, na qual os bebês estão se autoconhecendo, e descobrindo as novidades do mundo. Podemos então concluir, que a proposta realizada foi ao encontro do que preconiza a Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2017), na qual consta como objetivos de aprendizagem e desenvolvimento para os bebês a exploração do ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas, bem como a manipulação de materiais diversos e variados para comparar as diferenças e semelhanças entre eles.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
RODRIGUES DE RODRIGUES, T.; DA SILVA E SILVA, J.; LEITE FERNANDES SANTOS, B.; FREITAS PEREIRA, R.; ELIZA MACHADO LOPES, A. OS BEBÊS NA CRECHE E A EXPLORAÇÃO DE UM TAPETE SENSORIAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.