CMAFOG: A EVOLUÇÃO DE UMA COMPETIÇÃO CIENTÍFICA E A INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE

  • Maria Juliana Soares da Silva Santos
  • Alessandro Goncalves Girardi
Rótulo Clube, Astronomia, Competição, foguetes, garrafa, PET, Evolução, competição

Resumo

Atualmente no Brasil existem várias competições de foguetes de garrafa PET. A principal dentro do Brasil denomina-se Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Através disso, o Clube de Astronomia da UNIPAMPA, campus Alegrete, deu início à Competição Municipal Alegretense de Foguetes de Garrafa PET, abreviada como CMAFog, objetivando despertar conhecimentos ligados a ciência e tecnologia em estudantes do ensino médio e superior, além de servir como preparatória para a MOBFOG. A CMAFog se encontra na sua quarta edição. A primeira edição ocorreu em 7 de julho de 2017. Em 2018 ocorreram duas edições, em 26 de junho e em 3 de dezembro; e no ano de 2019 ocorreu a IV edição no dia 24 de junho. A competição prevê que os estudantes construam foguetes com garrafas PET em duas modalidades: reação química com bicarbonato de sódio e pressão com ar comprimido e água. Vence quem lançar o foguete à distância mais longa. Para isso deve-se aplicar conhecimentos em matérias estudadas em sala de aula como química na mistura entre os componentes das modalidades e física para a construção das partes principais do foguete relacionadas a aerodinâmica e cálculo da trajetória. O objetivo deste artigo é fazer uma análise entre as duas principais edições do evento (a II, no ano de 2018, e a IV no ano de 2019). Nos dados comparativos, houve um aumento significativo no número de inscritos ao longo dos anos. Em 2019 foram 63 equipes a mais que a edição do ano anterior, com um total de 77 equipes participantes, contra 14 da II CMAFog. Com relação à idade do público envolvido, na edição II a maior parte (48%) tinha entre 16 a 20 anos. Já na edição IV, 59% tinham entre 10 a 15 anos. Nas notas dadas aos processos do evento, desde o entendimento do regulamento, passando pelo processo de inscrição, dia de teste na base e organização no dia do evento, na edição de 2018 a média da avaliação foi de 8,90. Na edição de 2019 a média obtida foi de 8,60. A II CMAFog obteve lançamentos recordes com distâncias de 182 m na modalidade de ar comprimido e 147 m na modalidade de reação química. Na IV competição, as máximas distâncias atingidas foram de 86,8 m por ar comprimido e 134,8 m por reação química. Ambas as distâncias foram medidas com o auxílio de um equipamento de topografia, estação total disponibilizado pelo Campus. Apesar da edição de 2019 ter mais participantes, as distâncias atingidas pelos foguetes foram menores. Um fator que pode explicar isto é a presença de forte vento contrário no dia da IV CMAFog. É notória a evolução da CMAFog durante o intervalo de um ano entre as duas principais competições e faz-se necessária a interação da comunidade acadêmica com a comunidade local visto que assim se desperte o interesse em conhecimento e tecnologias além de ser uma oportunidade de conhecer a universidade. Através do desempenho de toda a equipe participante do Clube de Astronomia, espera-se que as próximas edições alcancem um número maior de participantes, evoluindo a cada evento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
JULIANA SOARES DA SILVA SANTOS, M.; GONCALVES GIRARDI, A. CMAFOG: A EVOLUÇÃO DE UMA COMPETIÇÃO CIENTÍFICA E A INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.