PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM TERNEIRAS NO TAMBO DE LEITE DA UNIPAMPA- URUGUAIANA

  • Letícia Fraporti
  • Édipo Alex Malavolta Ramão
  • Taiani Ourique Gayer
  • Julia Locatelli Ongaratto
  • Deise Dalazen Castagnara
  • Fernando Passon Casagrande
Rótulo Prevalência, Terneiras, Diarreia, Pneumonia

Resumo

A criação de terneiras é um dos pontos principais no sucesso de uma propriedade leiteira, uma criação e desenvolvimento adequado nessa fase produzirá bons resultados futuros, porém, essa categoria é frequentemente negligenciada pelos produtores devido ao não retorno imediato de lucros. As primeiras semanas de vida são as mais críticas, sendo que o período do nascimento ao desmame é quando ocorrem as maiores taxas de mortalidade, as principais doenças responsáveis por esses índices são a diarreia, pneumonia e infecções umbilicais. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar a prevalência dessas doenças em terneiras criadas no tambo de leite da Unipampa a fim de realizar um estudo epidemiológico que retrate a realidade das pequenas propriedades de leite da região. A coleta de dados foi feita no Tambo de Leite da Unipampa-Campus Uruguaiana, avaliando a incidência de diarreias, pneumonias e infecções umbilicais. Os dados foram coletados no período de janeiro a setembro de 2019, em uma população total de 20 terneiras provenientes de uma propriedade de leite do município de Uruguaiana. Foram avaliados a incidência ou não de alguma ou mais dessas enfermidades a partir dos 2 dias de idade até o período de desmame, que ocorreu aproximadamente aos 90 dias. A doença mais prevalente neste estudo foi a diarreia, que acometeu 65% das terneiras. O número de animais com pneumonia foi de 25%, sendo que 15% do total apresentou as duas doenças (pneumonia e diarreia) ao menos uma vez no período do acompanhamento, sendo elas concomitantes ou não. Um animal teve infecção umbilical, este veio a óbito dias depois do início do quadro, e junto com 2 mortes devido a diarreia e 1 à pneumonia compõem a taxa de 20% de mortalidade, número muito alto quando comparado ao aceitável, que seria de apenas 5%. Somente 20% das terneiras se mantiveram saudáveis durante todo o estudo, índice muito baixo e que provoca diversos prejuízos se levado em conta gastos com medicamentos e diminuição da taxa de crescimento. A alta incidência dessas doenças pode ser explicada por uma falha na colostragem, bovinos não recebem imunidade materna via transplacentária, sendo necessária a ingestão de colostro nas primeiras horas após o nascimento para absorção de imunoglobulinas. Uruguaiana, por não ser um munícipio culturalmente produtor de leite, acaba trazendo da bovinocultura de corte algumas práticas, que devido a evolução genética e perda de grande parte da habilidade materna das vacas especializadas na produção de leite tem efeito negativo na passagem da imunidade passiva ao terneiro. A alta prevalência de diarreia evidencia que alguns manejos devem ser ajustados para diminuir o contato dos animais com os agentes causadores, porém a taxa de terneiras saudáveis foi baixa demonstrando que o problema não está somente na contaminação, mas também na imunidade dos animais, sendo necessárias medidas para melhorar este ponto.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
FRAPORTI, L.; ALEX MALAVOLTA RAMÃO, ÉDIPO; OURIQUE GAYER, T.; LOCATELLI ONGARATTO, J.; DALAZEN CASTAGNARA, D.; PASSON CASAGRANDE, F. PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM TERNEIRAS NO TAMBO DE LEITE DA UNIPAMPA- URUGUAIANA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.