CARACTERIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DE PACIENTES INTERNADOS EM UTI ADULTO DE UM HOSPITAL DA FRONTEIRA OESTE RS

  • Mariely Souto Liano
  • Antonio Adolfo Mattos De Castro
  • Rafael Tamborena Malheiros
Rótulo Unidade, Terapia, Intensiva, Fisioterapia, Epidemiologia, nos, Serviços, Saúde, Cuidados, críticos

Resumo

Os atendimentos fisioterapêuticos englobam o tratamento das doenças neurológicas, cardiovasculares e pulmonares; são de grande importância para uma aceleração da recuperação e para a preservação da funcionalidade motora desses pacientes. A inserção do fisioterapeuta residente na unidade de terapia intensiva (UTI) amplia o modelo de assistência integral e multidisciplinar proporcionando um atendimento de qualidade e humanizado aos usuários. Entender as características epidemiológicas desses pacientes internados em UTI auxiliam a definir estratégias qualitativas e quantitativas para melhorar esse atendimento, especialmente na prevenção de complicações e no atendimento especializado reabilitativo. O presente estudo objetiva verificar a caracterização epidemiológica dos pacientes internados em UTI adulto de um Hospital da Fronteira Oeste do RS e analisar o quantitativo de pacientes com solicitação de fisioterapia. Trata-se de um estudo quantitativo, retrospectivo, do tipo descritivo, com base na coleta de dados nos prontuários disponíveis nos arquivos de um Hospital do Município de Uruguaiana/RS, no período de março a agosto de 2019. Neste período foram admitidos na UTI adulto 103 pacientes (53 mulheres e 50 homens) com idade média de 55 anos. Verificamos 36 diagnósticos, sendo que, para internação dos pacientes, as mais prevalentes foram as doenças neurológicas (38,8% dos casos), respiratórias (24,2% dos casos) e cardíacas (17,4%). Ainda, verificamos que 59,2% dos pacientes realizaram fisioterapia durante o período de internação na UTI. Estudos apontam que as doenças neurológicas são importantes causadoras de morbidade e mortalidade. Em nosso estudo observamos que o acidente vascular cerebral (AVC) foi o diagnóstico mais prevalente. O AVC é considerado um problema de saúde pública, sendo a principal causa de incapacidade funcional. Observamos também que 24% dos motivos de internação foram devidos à causas respiratórias. Diferentes doenças respiratórios desenvolvem distúrbios nas trocas gasosas levando à insuficiência respiratória aguda. No entanto, 40% dos pacientes internados na UTI não realizaram fisioterapia; dentre desses as doenças cardíacas que obtiveram apenas 33% de solicitação de avaliação fisioterapêutica. As atribuições do fisioterapeuta na unidade estão distribuídas na admissão do paciente, no diagnóstico funcional e no processo de alta. Conhecendo as características de uma unidade de internação, torna-se possível à implementação de protocolos de atendimentos específicos para cada grupo de pacientes. Com base em nossos resultados concluímos que o perfil epidemiológico dos pacientes internados em nossa UTI é de homens e mulheres com média de idade de 55 anos, com maior prevalência de doenças neurológicas. Além disso, as atividades teóricas - práticas realizadas no programa de residência multiprofissional contribuem para o desenvolvimento do profissional fisioterapeuta e na formação de especialistas em urgência e emergência.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
SOUTO LIANO, M.; ADOLFO MATTOS DE CASTRO, A.; TAMBORENA MALHEIROS, R. CARACTERIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DE PACIENTES INTERNADOS EM UTI ADULTO DE UM HOSPITAL DA FRONTEIRA OESTE RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.