AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE POSTOS DE TRABALHO INFORMATIZADOS DO PORTO SECO RODOVIÁRIO DE URUGUAIANA-RS

  • Andressa Ferreira Mandarino
  • Eduardo Timm Maciel
  • Vitória Hamdan Padilha
  • Alexandre Crespo Coelho Da Silva Pinto
Rótulo ergonomia, fisioterapia, trabalho, avaliação, ergonômica

Resumo

Introdução: Atualmente, no mundo industrial, os distúrbios musculoesqueléticos encontram-se no topo das doenças ocupacionais, gerando um alto índice de incapacidade funcional entre trabalhadores, sofrimento humano e uma drástica redução na qualidade de vida. Popularmente conhecidas como LER-DORTs (Lesão de Esforço Repetitivo e Distúrbios Ósteo-musculares Relacionados ao Trabalho), seu surgimento decorre da integração de fatores biomecânicos, tais como sobrecarga muscular estática e aspectos da organização do trabalho, como poucas pausas e excessos de exigências de produtividade (ROCHA, 2006). Neste contexto, se faz necessária a inserção do fisioterapeuta do trabalho dentro das empresas para identificar o risco de lesões musculoesqueléticas bem como lançar mão de novas ferramentas para abordagem da avaliação, prevenção e reabilitação em trabalhadores. Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar as condições ambientais de postos de trabalho informatizados do Porto Seco Rodoviário de Uruguaiana-RS, buscando identificar o grau de risco ergonômico. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de corte transversal em que foi aplicado um Check-List para avaliação de ambientes informatizados, desenvolvido por Couto (2014), em trabalhadores de quatro setores de uma empresa de serviços logísticos do Porto Seco. O Check-list é composto por 13 diferentes itens, tais como avaliação da mesa de trabalho, cadeira, suporte de teclado, apoio para os pés, porta-documentos, entre outros, e, dessa forma, classificando as condições ergonômicas dos postos de trabalho em Excelente, Boa, Ruim e Péssima. Resultados: O estudo contou com 16 participantes, sendo 8 homens e 8 mulheres pertencentes de setores distintos. Os resultados demonstraram diferenças significativas entre os setores quanto às condições ergonômicas que o posto de trabalho apresenta, na qual o setor Atendimento apresenta a melhor condição ergonômica (Boa) e, o setor Balança a pior (Ruim). Quanto à avaliação geral dos componentes do posto de trabalho listados nos itens do Check-list, as condições ergonômicas classificaram-se como Boas em relação ao teclado (82%), suporte de teclado (75%) e apoio para os pés (71%) e Razoáveis em relação à cadeira (69%) e mesa de trabalho (60%). Apenas um item do Check-list, o porta-documentos, apresentou uma condição ergonômica Péssima (16,66%). Conclusão: Através desde estudo foi possível visualizar uma desigualdade das condições ergonômicas de um posto de trabalho para outro, resultando na presença de fatores risco para distúrbios musculoesqueléticas e acidentes de trabalho nestes funcionários. Ademais, as informações obtidas serão suficientes para auxiliar no desenvolvimento de técnicas de promoção de saúde e prevenção de lesões, condizentes com o que essa população necessita, bem como na realização de ajustes no posto de trabalho para proporcionar um maior conforto na jornada de trabalho, menores riscos ósteomusculares e uma consequente melhoria na qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
FERREIRA MANDARINO, A.; TIMM MACIEL, E.; HAMDAN PADILHA, V.; CRESPO COELHO DA SILVA PINTO, A. AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE POSTOS DE TRABALHO INFORMATIZADOS DO PORTO SECO RODOVIÁRIO DE URUGUAIANA-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.