MÚSICA E SAÚDE MENTAL: TRABALHANDO COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

  • Amanda Késsia Correa
  • Amanda Correa
  • Gilnara Da Costa Correa Oliveira
Rótulo Música, Saúde, Mental, Transtorno, Espectro, Autista

Resumo

O projeto de Extensão, Música e Saúde Mental, da Universidade Federal do Pampa, ocorre desde o ano de 2016 sendo registrado no SIPPE sob o número 0203716 e 0201619 e trata do desenvolvimento de práticas educativas musicais com crianças e adolescentes com TEA (Transtorno do Espectro Autista). Tal projeto é desenvolvido no Centro de Apoio Psicossocial criança e adolescente (CAPSi), no município de Bagé, sendo realizado por acadêmicos do curso de Licenciatura em Música. O objetivo do projeto é desenvolver ações, por meio da música, para proporcionar melhora na qualidade de vida das crianças e adolescentes com TEA, bem como nos processos de aprendizagem. Promove a integração das crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista, com a sociedade onde estão inseridos e obtendo ganhos nos aspectos biopsicossociais, por meio da realização de atividades de produção e imitação vocal, instrumental e percussão corporal, canto, atividades de entonação e outras atividades lúdicas. Partindo de uma aprendizagem significativa, baseada na teoria de Ausubel, onde o importante no processo de aprendizagem são os conhecimentos adquiridos anteriormente, ou seja, aqueles adquiridos ao longo de sua vida, pois serão ancoras para novos conhecimentos. (Moreira, 1992) Assim, busca-se o conhecimento dos alunos em relação a sua vivência e quais as necessidades de cada usuário do CAPSi. As atividades são realizadas duas vezes na semana, individuais ou em grupo, no prédio onde funciona o referido CAPS, tendo o apoio técnico da equipe interdisciplinar. Busca-se assim, integrar as práticas didático-musicais com os componentes curriculares da Educação Inclusiva, Psicologia e Educação e Educação Musical. Os acadêmicos desenvolvem as ações durante o período de duas horas semanais, divididas em dois dias (terças-feiras e quintas-feiras) em turnos diferentes. Quanto aos resultados obtidos observa-se um avanço em relação à comunicação, memorização das músicas, uma maior socialização e melhora no processo de aprendizagem, segundo relato dos pais e profissionais do CAPSi. Concluímos que o projeto Música e Saúde Mental tem grande importância tanto para a vida das pessoas com TEA, pois as mesmas obtém melhoria na cognição e em vários aspectos da aprendizagem, contribuindo com a interação entre os mesmos e na qualidade de vida, na atenção e concentração dos mesmos durante a atividade, bem como em outros aspectos do seu dia a dia. Quanto aos discentes envolvidos do curso de Música-Licenciatura, estes tem a oportunidade de vivenciar na prática os desafios de saber lidar com um grupo heterogêneo, com diversas limitações, aliando teoria e prática, articulando ensino, pesquisa e extensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
KÉSSIA CORREA, A.; CORREA, A.; DA COSTA CORREA OLIVEIRA, G. MÚSICA E SAÚDE MENTAL: TRABALHANDO COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.