ATIVIDADES REALIZADAS COM CUIDADORES DE PESSOAS COM TEA MATRICULADAS NA APAE DE ITAQUI/RS

  • Patricia De Souza Flores
  • Izabella do Amaral Paz
  • Nássera Molina Raudis Salamech
  • Rithiele Damasceno de Lima
  • Keicy Cristiane Gomes Marques
  • Paula Ferreira De Araujo Ribeiro
Rótulo Glúten, Caseína, Autismo, Dieta, SGSC

Resumo

Segundo algumas pesquisas, os portadores de TEA (Transtorno do Espectro Autista) podem apresentar disfunções gastrointestinais como a diminuição na produção de algumas enzimas digestivas, fato que pode culminar para a digestão incompleta de alguns nutrientes. A digestão incompleta do glúten e da caseína é um exemplo, podendo promover a liberação de peptídeos denominados exorfinas dietéticas, as quais podem apresentar atividade opióide no cérebro de pessoas com TEA. Dessa forma, o consumo contínuo de glúten e caseína pode ajudar no agravamento de alguns sintomas declarados do espectro, como a falta de concentração, irritabilidade e hiperatividade. Nesse contexto, enquadra-se o projeto de extensão Oficinas de elaboração de alimentos sem glúten e caseína destinadas aos cuidadores de pessoas com TEA matriculadas na APAE de Itaqui/RS. O projeto teve início no ano de 2018, com durabilidade de dois anos, sendo as atividades desenvolvidas nas dependências da APAE, abordando como assunto principal e elaboração e o consumo de alimentos sem glúten e caseína por pessoas com TEA. Objetivo desse trabalho foi relatar as experiências vivenciadas a partir dos encontros promovidos na APAE de Itaqui/RS. As atividades inerentes ao projeto tiveram início em março/2019 e, até o momento, foram realizadas uma oficina a cada mês, sendo desenvolvidas por um grupo de alunos e professores da Unipampa, campus Itaqui. A cada encontro foram preparados alimentos livres de glúten e caseína dos tipos: macarrão, nhoque, massa para pizza, cupcake e doce do tipo brigadeiro. Na maioria das vezes, o público participante foi composto pelas mães das crianças matriculadas na APAE, as quais, além de aprenderem novas técnicas de preparo de alimentos, também utilizaram o tempo para promover uma roda de conversa sobre a rotina dos seus filhos e os desafios de se cuidar de uma criança com TEA. Entre os relatos das participantes, foi possível observar uma satisfação em relação ao trabalho proposto, uma vez que, em geral, caracterizaram os alimentos elaborados como ótimos. As mesmas conseguiram perceber a preocupação que a equipe tem em deixar os alimentos com o sabor e a aparência o mais próximo possível do produto original, ou seja, daqueles que apresentam em sua composição glúten e caseína. Além disso, foi possível observar que as participantes também aproveitaram o espaço para trocar experiências sobre as suas vivências dentro do espectro autista, fato que proporcionou bastante satisfação para a equipe envolvida nesse trabalho. Dessa forma, percebe-se o papel importante que esse tipo de projeto tem perante a comunidade do município de Itaqui/RS, pois os participantes se sentiram acolhidos para aprender sobre as particularidades da alimentação de portadores de TEA, bem como para expor suas experiências adquiridas a partir do momento em que começaram a fazer parte da rotina do espectro autista.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
DE SOUZA FLORES, P.; DO AMARAL PAZ, I.; MOLINA RAUDIS SALAMECH, N.; DAMASCENO DE LIMA, R.; CRISTIANE GOMES MARQUES, K.; FERREIRA DE ARAUJO RIBEIRO, P. ATIVIDADES REALIZADAS COM CUIDADORES DE PESSOAS COM TEA MATRICULADAS NA APAE DE ITAQUI/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.