CINE DEBATE: BIOÉTICA E DIREITOS HUMANOS

  • Rafael Bittencourt de Oliveira
  • Laissa Santana de Jesus
  • Zilmara dos Santos Luis
  • Clara Beatriz Lopes Miranda
  • Juliana Lopes de Macedo
  • Gustavo Ruiz Chiesa
Rótulo Bioética, Direitos, Humanos, Cidadania

Resumo

RESUMO SIEPE Cine Debate Introdução: A formação dos profissionais de saúde vem sofrendo muitas críticas por se basearem em um pensamento reducionista e centrado na doença, negligenciando a formação ética e humanística. No âmbito do ensino superior, algumas ações vêm sendo desenvolvidas para modificar essa realidade. Porém, é necessário fomentar estratégias de formação continuada para aqueles profissionais que já se encontram no mercado de trabalho. Assim, a presente proposta tem como objetivo fomentar a discussão sobre bioética e direitos humanos entre profissionais da saúde. Metodologia: Para tanto, foram realizados debates e discussões de obras cinematográficas que abordem temas relacionados à bioética e aos direitos humanos, a partir de uma metodologia lúdica. Resultados e Discussão: Os encontros têm como público-alvo profissionais da saúde formados e em formação e aconteceram mensalmente na cidade de Uruguaiana, RS. Até o momento foram realizados dois encontros. No primeiro encontro foi exibido o documentário Em nome da raça e da ciência que aborda a experimentação científica em seres humanos. O documentário discute a fundação de novas Universidades no III Reich, as quais vinham a ser elemento piloto do ensino da ciência alemã, além de sustentar as ideais nazistas com pesquisas que justificavam o racismo e anti-semitismo. Desta forma, nas Universidades de Medicina, em especial a de Estrasburgo, utilizaram cobaias humanos e corpos de judeus oriundos dos campos de concentração para realização da anatomia comparada. O documentário levou o público a refletir até onde a ciência pode ser transvestida para ser normatizada em prol de ideologias radicais, fascistas e anti-humanitárias que influenciaram o conhecimento. No segundo encontro foi exibido o filme Uma prova de amor, produção norte americana que aborda o tema doação de órgãos e transplantes humanos. O filme narra a história de uma menina, que foi geneticamente criada in vitro para ter compatibilidade como doadora de órgãos para sua irmã mais velha que sofre de leucemia. Durante o enredo acompanha-se a luta judicial que a criança trava contra sua própia família para poder ter autonomia de seu próprio corpo. O debate desta sessão levou a refletir sobre a vida e o que significa viver, a morte, compaixão, empatia e autonomia. Conclusões: O projeto oportuniza que diferentes atores do campo da saúde discutam e compartilhem experiências, ocorrendo assim um intercâmbio entre gerações de futuros e atuais profissionais do ramo. No quesito bioética, os currículos tradicionais focam em explicar atitudes padronizadas, forte abordagem deontológica, com enfoque legal nos Códigos de cada profissão. Esse tipo de metodologia não oportuniza o senso crítico para preparar os alunos da maneira correta para as futuras situações que encontraram no campo da saúde. Ética pressupõe uma justificativa para a ação, e portanto, dependente de uma reflexão contextualizada e situacional de casos específicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
BITTENCOURT DE OLIVEIRA, R.; SANTANA DE JESUS, L.; DOS SANTOS LUIS, Z.; BEATRIZ LOPES MIRANDA, C.; LOPES DE MACEDO, J.; RUIZ CHIESA, G. CINE DEBATE: BIOÉTICA E DIREITOS HUMANOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.